Air Traffic Controller

>> quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Me responda rápido: Você possui essas 6 habilidades abaixo, juntas?

  • raciocínio rápido
  • controle emocional
  • raciocínio espacial
  • capacidade de rápida adaptação às mudanças operacionais
  • capacidade de atuar em grupo
  • capacidade física e orgância para atuar seja dia ou noite.
Mas de viajar em segurança dentro do avião, você gosta não é?
Pois saiba que os controladores de tráfego aéreo precisam ter tudo isso e muito mais coisas, como as descritas abaixo, para poderem trabalhar e dar pra gente essa segurança (tudo bem que algumas vezes eles falham e daí o desastre é enorme) mas não vamos falar sobre isso hoje.
Viajar é bom, acho que todo mundo gosta, e para viagens mais longas o avião é mesmo o melhor transporte, então vou falar um pouquinho sobre isso nesse dia que é considerado o Dia Internacional do Controlador de Tráfego Aéreo.
No dia 20 de Outubro de 1961, Controladores de Tráfego Aéreo de 13 países juntaram-se, e formaram a International Federation of Air Traffic Controllers Associations (IFACTA).

Controlador de Tráfego Aéreo (também conhecido internacionalmente pelo acrônimo ATCO, do inglês Air Traffic Controller) é a pessoa encarregada de separar o tráfego de aeronaves no espaço aéreo e nos aeroportos de modo seguro, ordenado e rápido. Os controladores de tráfego aéreo trabalham emitindo autorizações aos pilotos, ou seja, dando instruções e informações necessárias dentro do espaço aéreo de sua jurisdição com o objetivo de prevenir colisões entre aeronaves e entre aeronaves e obstáculos nas imediações dos aeroportos.
O controlador de tráfego aéreo é o elo do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) que faz a interface mais próxima a um acidente aeronáutico. Por isso seu trabalho é muito específico.

Antigamente havia a denominação "controlador de vôo" a partir de cursos que levavam esse nome e que também existiam em outros países, mas com o tempo e com a crescente especialização dessa atividade, a denominação internacional "controlador de tráfego aéreo" é a tendência a ser utilizada.

- Formação
No Brasil, os controladores de tráfego aéreo são formados em dois locais: os controladores civis são formados na cidade de São José dos Campos, no ICEA - Instituto de Controle do Espaço Aéreo e os militares são formados na cidade de Guaratinguetá na EEAR - Escola de Especialistas da Aeronáutica. Ambas as instituições são da área de ensino da Força Aérea Brasileira.

- Profissão
Na maioria dos países signatários da Convenção de Chicago a atividade de controlador de tráfego aéreo é reconhecida como profissão. No Brasil, apesar da grande importância desta função, ainda não há o reconhecimento desta atividade como profissão, até porque ela é ainda desconhecida da sociedade em geral, que só veio tomar conhecimento de sua existência praticamente depois do acidente entre o Boeing da Gol Linhas Aéreas Inteligentes e o Embraer Legacy em 29 de setembro de 2006.
Para se tornar controlador de tráfego aéreo, além das habilidades supracitadas, é necessário adquirir conhecimento, dentre outras, nas seguintes áreas:
- meteorologia;
- navegação aérea;
- geografia (relevo e acidentes geográficos da região);
- língua inglesa;
- reconhecimento e desempenho de aeronaves;
- normas de tráfego aéreo.

- Responsabilidade
O controlador de tráfego aéreo possui enorme grau de responsabilidade. Uma falha pode significar a perda simultânea de centenas de vidas. Dentre os serviços prestados pelo controlador às aeronaves, o serviço de Vetoração Radar é o que confere ao controlador o maior nível de responsabilidade. No ato da prestação deste serviço, o controlador literalmente assume a navegação da aeronave transmitindo instruções de velocidade, proa e altitudes a serem executadas pelo piloto. Além da segurança dos passageiros e tripulantes, a atuação do controlador, seja adequada ou inadequada, pode significar, respectivamente, economia ou prejuízo para as companhias aéreas e para a aviação geral. O avião deixou de ser um transporte somente de pessoas a passeio e transformou-se no mais importante meio de transporte. Sabe-se hoje que as crises do setor aéreo podem afetar a vida política, comercial e social de um país. Recentemente (2006), após a crise e os desastres ocorridos, a sociedade pode conferir a importância do controlador de tráfego aéreo.
 
- Estresse
A profissão de controlador de tráfego aéreo é a segunda mais estressante. Veja, segundo a ISMA–BR (International Stress Management Association) (carece de fontes) quais as profissões mais estressantes :
- Controlador de tráfego aéreo e motorista de ônibus.
- Policial e segurança.
- Atendimento ao público (área de cobrança), executivo e bancário.

- Áreas de Atuação
Diferentemente de outros profissionais, o controlador de tráfego aéreo não pode ser facilmente alocado de uma áerea de trabalho para outra. Para isso são necessários meses de treinamento e adaptação a fim de obter o nível adequado de operacionalidade na nova localidade. A atividade é tão complexa que é dividida em cinco áreas:
- Centro de Controle de Área;
- Controle de Aproximação;
- Torre de Controle;
- Busca e Salvamento; e
- Defesa Aérea.
Mesmo após formado, o controlador que for alocado de uma aérea para outra ou de uma localidade para outra dentro da mesma área de atuação precisa passar por meses de estágio operacional a fim de tornar-se capaz de realizar o serviço.
Eu acho que eles realmente merecem todas as honras. E você?

beijos

(fonte: Wikipédia)

7 comentários:

Nilce 20 de outubro de 2010 01:23  

Nossa Macá, eu já sabia de alguma coisa, mas ao ler o seu post, fiquei aqui imaginando esses pobres homens.
Lembro que vi várias reportagens sobre o excesso de trabalho dos controladores de tráfego aéreo e a cobrança que eles sofrem.
Tem que entender de muita coisa e no Brasil a profissão ainda não é reconhecida? "O loko"! Eles são heróis, isso sim.
Parabéns a todos eles pelo seu dia.

Bjs no coração!

Nilce

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez 20 de outubro de 2010 07:14  

Macá. Parece que é a categoria que mais vive sob stress no mundo, não é? tb, a responsabilidade é gigante...

uma vez eu vi uma matéria na tv (não lembro de qual jornal nem em qual aeroporto era, acho q era o de SP mesmo) o controlador de vôo desesperado! Além da responsabilidade, o equipamento velho e mau cuidado, ameaçava pifar (o radar apagava!)
E o desespero do rapaz pra coletar informações, pra não acontecer nada de errado...

eles merecem a homenagem, foi bonito vc lembrar deles!
bjs

Glorinha L de Lion 20 de outubro de 2010 11:05  

Oi Macá, muito legal esse teu post. Eu sabia que os controladores de tráfego vivem sob stress constante e com isso, nós os passageiros, corremos riscos tb. Acho que é tb por isso que tenho tanto medo de voar...ui! Mas vou! E bem que gostaria de ir mais...Eles merecem, eles merecem! beijos.

Misturação - Ana Karla 20 de outubro de 2010 11:06  

Quanta coisa!!!
acho que eles merecem mesmo e muito mais.
Parabéns!
É um estresse fora do comum.
Que sejam abençoados e sempre reconhecidos.

Bom dia Macá.

Xeros

Deia 20 de outubro de 2010 21:41  

Querida Macá, não é fácil ter como trabalho a responsabilidade por milhares de vida por hora... Todo o respeito por aqueles que precisam estar 100% focados em prevenir quaisquer problemas para nós que estamos displicentemente folheando uma revista dentro do avião... Beijocas, Deia.

Saozita 20 de outubro de 2010 21:52  

Querida Macá, adorei ler esse post, está perfeita e correcta a explicação do que é um Controlador de Tráfego Aéreo!
Essa era a profissão do meu sogro, iniciou e terminou a carreira na Força Aérea Portuguesa, tendo ganho por 2 vezes o prémio medalha de ouro de melhor controlador de tráfego aéreo do mundo. Tirou o curso na República Federal Alemã em 1957, ano da criação da FAP e é do 1ºCurso de Controladores de Tráfego Aéreo Portugueses.
Num tempo em que tinham de efectuar básicamente todos os cáculos de azimutes, ( longitude,latitude, altitude) manualmente. Dizia conseguir fazer aterrar qualquer avião, idependentemente da visibilidade em segurança, bastando ao piloto seguir as suas instruções. O trabalho era efectuado por turnos de 24horas com descanso de 4horas por cada 4horas de trabalho, findo o turno tinha 48horas de descanso, até pegar novamente ao serviço.

Tem uma bela noite amiga.

Bjs

Sãozita

Beth/Lilás 20 de outubro de 2010 22:53  

Nossa, amiga, quanta coisa interessante você nos contou por aqui e eu nem sabia disso tudo, gostei muito!
Claro que eles merecem, principalmente porque estão num trabalho em que direcionam vidas!
Eu ainda tenho medo de voar, mas voo com o coração na mão. hehe
umbeijo carioca

Related Posts with Thumbnails