Diário da Dilma - I

>> terça-feira, 29 de novembro de 2011

Há uns 2 anos atrás, queria dar um presente ao meu marido, mas que saísse um pouco da mesmice de sempre. Optei por dar uma assinatura da revista PIAUÍ.
Nem preciso dizer que ele adorou e não deixa ninguém mexer de medo que estraguem. Mas eu pego pra ler, claro (presente com segundas intenções).
Nos últimos meses, como estava lendo outras coisas, me atrasei na leitura da revista, mas no último fim de semana, comecei novamente e li uma revista do mês de fevereiro.
A revista é séria gente, eu garanto, mas esse artigo é MUITO bom e engraçado.
É uma série e se chama: diário da Dilma.


Notas, apontamentos e tergiversações

31 de dezembro de 2010
13h_Estou estressada com os últimos preparativos para a ceia de Réveillon. O Palocci não larga do meu pé: “Responsabilidade fiscal isso”, “Equilibrar orçamento aquilo”, “Blá-blá-blá”. Uma chatice. Pedi para ele comprar umas lentilhas que é para não me aborrecer. Michel Temer queria reservar cinco vagas na janela para o PMDB ver os fogos. Teremos que negociar. Sarney vai trazer a família e pediu para estacionar dentro do prédio. Vou pedir para o Lula falar com ele.
13h04_Melhor não falar com o Lula. Só hoje ele já me ligou sete vezes. Isso pode virar um problema.
22h_Pretendo seguir a tradição búlgara de comemorar a passagem de ano com um shot de vodca Shuvilaya na mão direita e pequenos fiapos de repolho entre os dedos da mão esquerda.
22h33_Não esquecer: cerimônia de posse amanhã.
1º de janeiro de 2011
11h22_O vestido está passado, maquiagem no ponto e o penteado firme como o concreto do Palácio da Alvorada. Lula ligou para me lembrar da importância de sorrir e gesticular para os populares. Anotei na palma da mão direita: “Sorrir e gesticular.” Em caso de chuva, devo usar o laquê impermeável que ganhei do Roberto Justus.
11h44_Michel Temer ligou para saber se pode pegar uma carona no Rolls-Royce presidencial por causa da chuva. Está passando dos limites.
16h_Esqueci o nome do presidente do Sri Lanka. Tenho que pedir para o Antonio Patriota ver em Mauá se temos um dossiê sobre o homem.
16h07_Me dei conta de que não sei onde fica o Sri Lanka. Como o Lula me ligou para falar de uns passaportes para os filhos dele, aproveitei para perguntar. Ele fez um gracejo de mau gosto com a palavra Sri Lanka. O Lula vai ser um problema.
18h_Marcela Temer conseguiu roubar a cena e usar mais laquê do que todas as gerações dos Rousseff. Só pode ser estratégia do PMDB.
22h_Cheguei em casa exausta. Pendurei a faixa no armário junto com os meus dois trajes búlgaros típicos. Lula me ligou para fofocar. Tergiversamos por mais de uma hora. Essa Hillary até que tem uns conjuntos bonitinhos. Lembrete: perguntar quem é o costureiro dela.
2 de janeiro
5h44_Hoje o dia começou bem cedo. Varri a casa, passei um pano úmido nos móveis e reguei as plantas. Tenho encontros marcados com diversos presidentes. Havia duas mensagens do Lula na secretária eletrônica. Dizia para olhar nos olhos dos chefes de Estado. Anotei na mão: “Olhar no olho.”
8h_Michel Temer ligou. Pediu para eu escolher um intérprete filiado ao PMDB. Não dei bola.
9h_Droga, esqueci de novo o nome do presidente do Sri Lanka. Vou pedir ao Antonio Patriota que sopre o nome de cada chefe de Estado para o intérprete, que, por sua vez, sussurrará no meu ouvido. Aprendi essa técnica durante a luta armada.
22h_Preciso de férias.
3 de janeiro
9h_Primeira reunião com os ministros. Antes de tocar nos assuntos estratégicos, deixei claras as regras daqui para frente: todos devem chegar pontualmente e desligar os celulares. Não admitirei conversas paralelas. Quem quiser ir ao banheiro, basta levantar a mão e pedir permissão. Não é permitido chiclete.
9h15_Alguém soltou um aviãozinho de papel. Fiz que não vi.
10h_Sabe que esse cabelo do Edison Lobão é bem jeitoso?
21h_O dia transcorreu sem maiores surpresas e cheguei em casa mais cedo. Aproveitarei para cortar o cabelo.
21h10_Michel Temer ligou para indicar um cabeleireiro ligado ao PMDB.


10 de janeiro
16h_Recebi a visita do senador John McCain, que discorreu durante horas sobre as virtudes da indústria bélica americana. Mostrou um PowerPoint que começava com os caubóis do Texas e terminava com os caças da Boeing. Muito persuasivo.
17h_Lulame ligou para dizer que foi o Jobim quem soltou o aviãozinho de papel. Disse que o Nelson fez isso para provar que é do ramo, e que na hora de decidir a compra dos aviões eu devia ouvir a opinião dele. Aproveitou para dizer que a praia está uma maravilha e que, se eu quiser dar um pulinho lá, ele me rende.
22h_Gozado, antes de dormir me peguei pensando no Lobão.


12 de janeiro
8h23_Vou sobrevoar o Rio de Janeiro para olhar de perto os estragos causados pela chuva. Michel Temer pediu para segurar dois lugares no helicóptero. Antecipei a saída em meia hora e fingi que me esqueci de avisá-lo.
12h22_A situação está muito pior do que eu imaginava. Tem como botar na conta do FHC?
14 de janeiro (sexta-feira)
12h_Marquei uma reunião às 19 horas com os ministros para discutir medidas em favor dos desabrigados do Rio.
12h12_Lula ligou recomendando adiar a reunião para segunda-feira, depois do almoço. Suspeito de que alguns ministros recorreram a ele. Bati o pé e mantive a data e o horário.
18h59_Cheguei na sala de reunião e havia uma tachinha na minha cadeira. Notei um sorriso jocoso nos rostos do Jobim e do Patriota. Para me resguardar, vou pedir para deixarem no forno um dossiê contra eles.
19h44_Quando falávamos da luta de uma família para salvar Pérgola, um cachorrinho de estimação, o meu olhar começou a perambular pela sala. Quando me dei conta, estava olhando para o Lobão. A expressão condoída dele era tão espontânea quanto comovente. Esse homem tem sentimentos intensos e uma vida interior muito rica.
19 de janeiro
8h_O pessoal da FAB tem sido incansável na tentativa de me forçar a tomar logo uma decisão sobre os caças. Terei de empregar meus poderes máximos de tergiversação.
10h_Nossos pesquisadores alocados em Mauá mandaram um telegrama informando que Edison Lobão tem um pequeno poodle chamado Cleópatra. Achei fofo, catita mesmo.
10h05_Não sei por quê, mas deu vontade de fazer um coraçãozinho com as mãos. Fiz por baixo da mesa. 
21 de janeiro
9h_Inferno astral: caos no Enem mais uma vez, os números da Região Serrana do Rio são cada vez piores e os italianos não esquecem o Battisti. O Lula podia ter me poupado essa. Fora isso, a irmã do Chico Buarque ainda me apronta anunciando que vai criar uma Secretaria da Economia Criativa no MinC, o que, evidentemente, me fez perder três horas com o Temer, que me ligou para indicar três correligionários que, segundo a PF, são extremamente criativos com as contas públicas. Estou de TPM. Liguei para o Lula para desabafar. Lembrete: Pedir para alguém me dizer qual o nome da irmã do Chico Buarque.
15h_Terminada a ligação, vou almoçar um pote de sorvete vendo tevê no meu gabinete. O que eles tão passando em Vale a Pena Verde Novo?
15h01_O Clone! Oba.
17h_Anastasia veio me pedir dinheiro com aquele papo mole de mineiro. Fiz um esforço enorme para sorrir durante o encontro. Política tem dessas coisas. Acabei chamando-o de Aécio três vezes, quatro vezes de “anestesia” e uma de “ambrosia”. Foi chato. Ando muito distraída.
19h_Ai, logo quando eu dava o dia por encerrado vem o Zé Eduardo me perguntar o que fazer com o Pedro Abramovay. Gosto do Pedro, mas ele não me consultou antes de dar entrevista defendendo penas menores para pequenos traficantes. Se tivesse me procurado, eu teria concordado com ele. Mas, enfim, desde os tempos da luta armada aprendi que insubordinação precisa ser cortada na raiz. “Cortem-lhe a cabeça!”, bradei, num momento que julguei histórico. (Sempre quis gritar isso.) O Palocci tomou um susto e quase caiu da cadeira. O traquinas do Jobim caiu na gargalhada.
23h_Cruzei com o Lobão fazendo serão num dos corredores do Planalto e ele me deu um sorriso encantador: “Presidenta, como vai?” Presidenta! Pelo visto, ele foi o único a ler o meu memo. Todos os outros insistem em me chamar de “presidente”. Esse homem é, de fato, um cavalheiro. E como se veste bem.
23 de janeiro (domingo)
19h_Estou entediada em casa e resolvi mandar um e-mail convocando uma reunião para segunda-feira às 8 horas, com confirmação automática de leitura – só para ver quem está conectado neste domingo.
19h02_Michel Temer foi o primeiro a responder.
19h45_Estranho: acho que o meu computador está com defeito, pois recebi confirmação de recebimento de alguém chamado “Ana de Hollanda”. Quem é?
20h44_Fantástico, Patrícia Poeta, Zeca Camargo e um bom pote de sorvete: esse é o Brasil que eu quero para todo mundo.
(continua na semana que vem)
beijos

Read more...

Lançamento do livro GOTA DE SANGUE de Fábio Brazil

>> domingo, 27 de novembro de 2011

No dia 25/11/2011 foi o lançamento de mais um livro do autor FÁBIO BRAZIL pela DIGITEXTO Editora.
GOTA DE SANGUE é um romance policial e sua história se passa na cidade de São Paulo.


"O ano é 1985. Ecoava nas ruas, ainda, os hinos das Diretas Já e as guitarras do Rock in Rio. Tancredo Neves era um luto recente e José Sarney era o presidente. Roque Santeiro batia 95% de audiência e o Bangu era o melhor time do Brasil. Menudos arrastavam multidões pelo país e o Comando Vermelho mandou um helicóptero tirar um traficante de Ilha Grande. O PMDB era paulista, o PDT era Brizola e o PT uma surpresa nanica. Josef Mengele, o carrasco nazista, estava enterrado no Embu e Romerito, o craque paraguaio, era o melhor jogador do país. Após 20 anos de Regime Militar as capitais dos Estados iriam escolher seus prefeitos. Fernando Henrique Cardoso candidatou-se e São Paulo elegeu Jânio Quadros. Esse é o pano de fundo do romance policial GOTA DE SANGUE.



GOTA DE SANGUE é, sobretudo, um passeio pelo Centro de São Paulo, uma evocação a lugares e tempos da cidade que “não pode parar”. Nesse passeio, Mário de Andrade, o mais paulistano dos poetas, é ao mesmo tempo cicerone e convidado ilustre que acompanha o leitor. GOTA DE SANGUE é um romance policial contaminado de Mário de Andrade – do título do romance ao mote da trama, dos poemas diluídos nos capítulos à articulação do crime, da descoberta do assassino ao desfecho do romance.
Ao mesmo tempo o leitor é convidado a participar de duas investigações: descobrir junto com o investigador Lúcio as circunstâncias do crime e descobrir onde estão os poemas de Mário de Andrade em cada capítulo.
“Poupo-lhes, no entanto, o trabalho sobre a autoria do crime. Confesso: sim, esquartejei os poemas de Mário de Andrade e os lancei no texto, não para matá-los, antes, para que tenham outra forma de vida. Algo entre o sacrifício e o crime passional” escreveu o autor no blog que acompanhou a pesquisa e a criação do romance."
Fica então o convite aos leitores: mergulhem com o paulistano Fábio Brazil no Centro de São Paulo e, enquanto ele nos revela a trama de GOTA DE SANGUE, descubram essa grande homenagem a Mário de Andrade e sua cidade."

Um pouco do que ocorreu lá no Espaço Caleidos:
O autor Fábio Brazil, autografando o primeiro livro da noite
A amiga Beth que já tinha lido o livro anterior "Bola da Vez" e compareceu para para prestigiar e adquirir o seu exemplar
Nossos amigos Neuza e José Carlos, também foram prestigiar e adquirir o livro. Meu marido (Júlio) ao lado, todo feliz
Daniel, do blog Fósforo, também foi prestigiar e comprar vários livros para presente. Aqui, ele e o Fábio assistem a uma apresentação de dança que fez parte do lançamento.
Apresentação de percussão corporal
Fábio declamando a poesia "Quando eu morrer" de Mário de Andrade
Você conhece o poema que deu ideia ao livro? Veja aqui:

Julio e eu ao lado do autor
Aqui a família toda: Fábio com a mulher Isabel e a filhinha Anna Cândida, eu e o Julio.


Gente, vou dizer uma coisa. Tudo bem, eu quero que esse livro faça muito sucesso, afinal somos os editores, mas o que eu queria dizer é: o livro é MUITO bom. Se você gosta de um bom romance policial, pode comprar com a certeza de que vai gostar. 
Está sem ideia para presentear alguém que gosta de ler, mas que já leu quase tudo? 
Então o livro é uma ótima ideia, porque o GOTA DE SANGUE só vai ser vendido pela Digitexto Editora. Então é um presente especial, certo?

beijos

Read more...

Cansada dos serviços domésticos?

>> quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Lembra que eu falei num post anterior sobre uma coisa que irá facilitar, e MUITO, a vida das pessoas que tomam conta de casa?
Seja, você mesma ou a empregada. 
É a Agenda de Casa.
Ela traz as tarefas diárias divididas pelos dias da semana e também em tarefas por letras. Exemplo: Dia 5 - quarta feira - salas Letra A
Nesse dia, além das tarefas para a quarta-feira, vão ser limpas também tudo que tiver a letra A: almofadas, abajures, etc ...
Pode parecer complicado, mas você se acostuma rapidinho e vai ver que nada da sua casa vai ficar sem ser limpo.
Ah! também traz lembretes sobre as compras. 


Gostou?
Então encomende a sua. 
Se você acha que não precisa, que já está bem acostumada com os serviços e dá conta de tudo, pense naquela amiga, sobrinha, filha da amiga que está se casando, ou, passou na faculdade em outra cidade e está montando seu novo lar, ou simplesmente mora sozinha.
Tenho certeza de que elas vão adorar.
Aproveite o preço de lançamento: R$ 25,00
Dados para o pagamento: Banco Itaú - ag. 6410 - conta 00039-9
DIGITEXTO Editora.
Depois me envie o comprovante informando também o seu endereço que, em poucos dias, sua Agenda de Casa estará aí.


beijos

Read more...

Fazendo parte da história

>> terça-feira, 22 de novembro de 2011

No post anterior eu falei sobre alguns assuntos que iria comentar aqui.
Primeiro era sobre a minha viagem no mês passado: França e Itália. 
Comentei e mostrei algumas fotos de Paris, dos lugares que visitei, mas não falei nada da Itália, terra dos meus avós.
Não tem como não gostar, não é verdade?
Veneza, com seus becos, ruelas, canais. Quem não quer se perder lá?
Firenze, Pisa, Siena (uma surpresa maravilhosa porque eu não esperava que fosse tão linda) e por fim Roma.
Roma é aquela cidade com uma obra de arte a cada esquina. Impressionante. A gente tá andando numa rua qualquer e de repente se depara com uma estátua imponente.
E lá, é claro que eu joguei moeda na Fontana di Trevi - afinal eu quero voltar lá muitas vezes - fui ao Vaticano, e o mais emocionante: O Coliseu.
Você se deparar com aquela ruína, pisar num pequeno pedaço de mármore e imaginar que ele todo ele era feito assim, se sentir fazendo parte da história do mundo, é de arrepiar. Aquelas colunas monumentais, que hoje apenas alguns pedaços rastejam pelo piso, imaginar as estátuas que existiam em todos aqueles vãos e foram, na sua maioria, destruídas, visualizar na imaginação os espetáculos, os combates, as batalhas que eram realizadas na arena. É de arrepiar. 
Veneza
* * * 
Pisa
* * *
Siena
* * *
Fontana di Trevi - Roma
* * * 
Consulado Brasileiro na Piazza Navona - Roma
* * *
Pietá - Basílica de São Pedro - Vaticano
* * *
Capela Sistina
* * *
Coliseu - Roma (quem disse que lá não existem mais estátuas?)
* * *
um beijo

Read more...

No caso, com certeza!

>> quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ah! aposto como vocês já estavam com saudades dele!!! Mais de um mês ausente? Sumiu assim sem dizer nada?
Mas hoje, mesmo sem sol, ele retornou para tirar de nossas vidas (não o bolor, esse acho que só a partir de amanhã), do nosso semblante, vários sorrisos, ou porque não, divertidas gargalhadas.
Com vocês, novamente, Antonio Prata. Não é pra gostar, muuuuiiiitttooo???

* * *
Se ele disser que 'no caso, Aspirina
a gente não vai tá tendo, hoje', a
coisa muda completamente de figura
* * *

Equivoca-se quem pensa que falar bem é falar claro. A arte da retórica reside, na verdade, na habilidade de confundir. Afinal, se digo algo e você entende de cara, vai logo se achando mais inteligente do que eu: mau negócio. Se, contudo, sou capaz de temperar as frases mais simples com um molho de obscuridade, com uma calculada pitada de empulhação, o ouvinte pensará que sei mais do que revelo: ponto para mim.
     Vejamos: você entra numa farmácia, pergunta se tem Aspirina e o funcionário responde com um peremptório "não". O que você pensará? Que aquela é uma farmácia ruim. Se, porém, ele disser que "no caso, Aspirina a gente não vai tá tendo, hoje", a coisa muda completamente de figura. O "no caso" sugere que, numa situação normal, ele teria Aspirina. Logo, "hoje", estamos numa situação anormal. Qual seria essa situação? Haveria um surto de enxaqueca, no bairro? Boatos de que a Copa e as Olimpíadas levariam à falta de ácido acetilsalicílico teriam desencadeado uma busca frenética pelo produto? Você não sabe, ele sabe, e, num segundo, o que era uma farmácia vagabunda transforma-se numa farmácia sob estado de exceção, enquanto você, em vez de um cliente insatisfeito, torna-se um náufrago à deriva no mar da especulação.
     Convencido de que aquele é um estabelecimento digno, de que só não tem os comprimidos de que necessita por conta dos misteriosos eventos pregressos, você resolve dar uma segunda chance. Em vez de ir à farmácia da outra esquina, pergunta se haverá Aspirina, no dia seguinte. O funcionário sorri: "Com certeza!".
     "Com certeza!" é irmã de "no caso". Ambos são filhos da obscuridade com a empulhação. "No caso" é o rebento discreto, melancólico e introspectivo, "com certeza!" é falante, solar e brincalhona. Os dois, contudo, trazem a mesma carga genética: fazem-nos crer que, por trás da vaguidão ou do entusiasmo escondem-se importantes e desconhecidas informações.
     Vejamos: se o farmacêutico respondesse com um mero "sim", o que você pensaria? Que as Aspirinas chegariam amanhã por alguma razão prosaica, talvez porque toda quinta-feira elas chegam e não há aí nenhum mérito do funcionário. Já o "com certeza!" instaura aquele estado de exceção: tamanho júbilo e segurança sugerem que a chegada das Aspirinas é o resultado de grande esforço. Você imagina o farmacêutico ameaçando o distribuidor, dizendo que se não receber o carregamento até as oito da manhã vai fechar um acordo de exclusividade com o Bufferin; você o vê mandando comprar Aspirinas em outras farmácias, no meio da madrugada; vislumbra-o pedindo para um primo mandar dezenas de cartelas via Sedex 10, diretamente da matriz, na Alemanha -e, por um momento, acredita que ele seja capaz até de acabar com a greve dos Correios.
     Que beleza é a oratória! Você não sabe o que o sujeito fez para conseguir as Aspirinas.        Não sabe sequer por que faltaram Aspirinas. Ignora, aliás, muitas outras coisas neste mundo feito de dúvidas irremediáveis, mas algo, no caso, você sabe: que amanhã, naquela farmácia, haverá Aspirinas, com certeza!
     Se este farmacêutico não domina a arte da retórica, não sei quem poderia dominar.

antonioprata.folha@uol.com.br 
@antonioprata 
Crônica publicada na Folha de São Paulo - caderno cotidiano 12/10/11

Blog 'Crônica e Outras Milongas' 
antonioprata.folha.blog.uol.com.br

* * *
PS: Eu tenho várias coisas acumuladas aqui para postar:
- Contar um pouco da minha viagem e mostrar fotos das estátuas do Coliseu. Você já viu estátuas lá? Eu descobri.
- Contar do lançamento de uma coisa maravilhosa para nós mulheres, não, para os homens também, principalmente os que moram sozinhos. É uma Agenda de Casa, que ajuda e muito no cumprimento das tarefas do lar. Daqui a alguns dias. Acompanhe aqui.
- Você acha que combina? Michel Temer e os Menudos? Não? Pois você vai ver aqui também. Mais alguns dias.


beijos

Read more...

Você não sabe quanta coisa eu faria ....

>> quarta-feira, 9 de novembro de 2011

E então, olhando bem nos seus olhos, ele disse:
- Vamos ficar uns 10 anos juntos, e .....
- Hã?
- Eu sei que não é muito, mas é só pra gente tentar, e depois a gente firma esse compromisso por mais 10, mais 10, até o fim das nossas vidas .....
Mãos apertadas, olhos vidrados um no outro, as bocas se uniram num beijo gostoso, melado, profundo e nada mais precisou ser dito.





beijos

Read more...

Quer publicar um livro

>> domingo, 6 de novembro de 2011

Há um mês atrás, a Elaine do blog Um pouco de mim, fez um post com a seguinte pergunta:




Imaginem como fiquei feliz. 
E ali, além das palavras carinhosas a nosso respeito, ela explicou como você, que gosta de escrever, ou que já pensou um dia em publicar o seu livro de histórias, seu romance, seu livro de contos, deveria fazer, e isso tem tudo a ver comigo certo?
Bom, pra você que está chegando agora e ainda não me conhece, vou contar. Meu marido e eu temos uma editora, ainda pequena, mas que está galgando os degraus da escada.
E nessa subida, você pode vir com a gente.
Em parceria com a Elaine, o livro VIDAS foi lançado e vários nomes da blogosfera, saíram do espaço dos posts e foram para a capa.
E em janeiro já temos firmado - Digitexto + Elaine - outro concurso literário. Acompanhem os blogs, que logo publicaremos as informações.
Mas você também não precisa esperar pra participar somente do concurso. Se você escreve, e já tem um arquivo para um livro, nos envie.
contato@digitexto.com.br
Nós vamos ler, analisar e apresentar pra você o que foi considerado. 
Com o post publicado pela Elaine, recebemos uns 10 e-mails; alguns pedindo informações, e outros enviando os arquivos, que já estão sendo analisados.
Faça isso você também. Se o seu livro é bom, teremos o maior prazer em fazer essa parceria com você.
Vou aguardar seu contato.
um beijo

Read more...

É tudo tão simples

>> sexta-feira, 4 de novembro de 2011

  1. A vida da mulher se divide em três fases: a primeira quando é gatinha; a terceira, quando já desistiu de encontrar o amor de sua vida; e a segunda, a melhor de todas, que vai até - bem, até quando, depende de cada uma
  2. Conheça seus limites. Uma mulher precisa saber até quando pode usar uma saia curta, um biquíni ou jogar charme para um homem sem ficar inadequado
  3. No primeiro encontro, escolha: ou decote, ou barriga de fora, ou perna de fora. E nos outros também
  4. Nunca vá aos lugares da moda, nunca se vista na moda e, sobretudo, saiba que, se o mundo diz que algo está na moda, é porque não está mais
  5. Ética e boa educação não são luxo, mas artigos de primeira necessidade
  6. Simplifique a vida. Não perca seu tempo guardando aquele vestido porque um dia vai emagrecer. Sabe quando isso vai acontecer? Provavelmente nunca
  7. Guarde apenas os livros mais queridos e precisos. Os circunstanciais, baixe no Kindle ou no iPad
  8. Se começar a ser tratada por "senhora" ou, pior, "tia", é hora de se olhar no espelho e ver o que precisa ser mudado
  9. Jamais diga "no meu tempo"
  10. Pelo sim, pelo não, negue sempre.
Esses são os dez mandamentos de Danuza Leão.
* - * - * - *

Às vésperas de lançar seu oitavo livro "É tudo tão simples", ela diz não ligar se for encarada como politicamente incorreta. "Não é porque inventaram que todos têm que ser politicamente corretos que eu vou mudar minha cabeça".
Bom nisso eu concordo plenamente. Esse negócio de tudo ter que ser politicamente correto é muito chato.
Não concordo com outras, principalmente quando ela fala de família, como por exemplo: usar a palavra "neto" ou ser chamada de avó está fora de cogitação.
Acho bobagem, porque se é, por que não dizer, mas cada um com suas convicções, certo?
Mas a reportagem está bem legal, e se quiserem ler está aqui:

É TUDO TÃO SIMPLES
AUTORA Danuza Leão
EDITORA Agir
QUANTO R$ 34,90 (196 págs.)

beijos e bom final de semana

Read more...
Related Posts with Thumbnails