Minha idéia é meu pincel - Irisis in Monet´s Garden

>> quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Ela abriu os olhos vagarosamente. Sentia-os pesados e já imaginava o que encontraria ao se olhar no espelho.

Levantou, foi até a janela e abriu uma pequena fresta. O dia estava feio, cinzento. Sentou-se na cama novamente e começou a relembrar a noite anterior.

Não, aquilo não podia estar acontecendo, ele tinha passado dos limites.

Ela sentia que o amava, muito, mas não podia ceder, de novo não. Da primeira vez, se importou, mas resolveu deixar passar. Arrumaria outro emprego, e pra se convencer até disse que não estava mesmo querendo aceitar, a empresa ficava do outro lado da cidade, ia perder muito tempo.

Mas agora? Agora era diferente! Era tudo o que estava esperando a algum tempo, além do que, tinha estudado pra isso, e quando a oportunidade apareceu ele veio fazer cena de ciúme? Não confiava nela?

A vida deles ia mudar um pouco, não iriam se ver mais todos os dias, mas a idade para se mudar de cidade, iniciar uma carreira promissora com bom salário, era essa. O momento era esse.

Foi até o armário pegar uma roupa. Queria sair, andar, pensar.

Passou na padaria, pediu um café e um misto-quente. Da sua mesa observou o céu. O sol ameaçava sair e colorir um pouco o dia.

O rosto dele não lhe saia da cabeça. Sério, irado, ameaçando terminar com tudo caso ela aceitasse.

Pagou a conta e saiu, andando sem rumo pela rua. O sol começou a esquentar, ela andava, pensava a cabeça fervia.
De repente se viu na esquina de um parque. Entrou, procurou um banco e sentou. Tirou o casaco e deixou o sol queimar sua pele. Ficou parada, quieta, só sentindo o calor.

Um canteiro à frente lhe chamou a atenção. Levantou-se e devagar foi indo em direção a ele. Viu as flores e parou. Começou a observar atentamente o colorido, os raios de sol realçando as cores, azuis, lilazes, rosas, vermelhas, amarelas.

Respirou fundo, sentou e pensou que nunca tinha visto flores tão lindas. Era a vida lhe sorrindo novamente. Fechou os olhos agradecendo à vida por esse momento.
Sorriu encantada admirando as flores.

Já sabia a decisão a tomar e nada lhe faria voltar atrás.
E na outra cidade iria conhecer muita gente, fazer novas amizades, e na certa também alguém especial, assim como aquele rapaz de olhos azuis que lhe deu passagem no elevador.
Ele foi tão simpático e era....... tão bonito!.
Esse texto faz parte da Blogagem Coletiva "Minha Idéia é meu Pincel" proposta pela Glorinha do Café com Bolo - iniciada nesta data com a tela de Monet - Irisis in Monet´s Garden.

beijos

29 comentários:

António Rosa 28 de outubro de 2010 04:55  

Macá,

De si, é de esperar sempre qualidade superlativa. Mais uma vez, fez a sua narrativa com a suavidade que lhe é própria. Gostei muito.

Beijos

António

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez 28 de outubro de 2010 05:40  

Macá. Gostei muito!
Vc tornou o jardim retratado por Monet como algo próximo, lugar de catarse, de acertar um pensamento.
Ou seja, como se o jardim tivesse uma magia, que abrisse novos rumos.
Lindo mesmo.

Siala 28 de outubro de 2010 07:41  

Adorei o texto...por todas as razões :) A vida sempre nos sorri se lhe dermos oportunidade!
Namasté!

Chica 28 de outubro de 2010 08:21  

Maravilhosa tua participação,MACÁ!sEMPRE ASSIM AQUI!beijos,chica

Astrid Annabelle 28 de outubro de 2010 08:56  

Macá,
gostoso de ler.
Bela participação amiga...nem seria diferente!!!
Um beijo grande.
Astrid Annabelle

Eliane 28 de outubro de 2010 10:02  

Monet nunca foi tão real quanto hoje.
Parabens vc consegui me vi caminhando ao lado dela esperando sua decisão. Um beijo da Eliane.

Glorinha L de Lion 28 de outubro de 2010 10:52  

Adorei Macá querida! Trouxe Monet para Sampa! Nos colocou no seu jardim dentro de uma grande cidade e nos mostrou que podemos mudar tudo sim, até nossa vida .É só olhar sob um novo ângulo, sob um outro ponto de vista. Lindo! Beijos. Obrigada!

Misturação - Ana Karla 28 de outubro de 2010 11:12  

Macá passei por aqui para ver essa blogagem coletiva que está com a imaginação muito além.
E por aqui não está diferente. Inspiração a mil.
Bom dia
Xeros

Socorro Melo 28 de outubro de 2010 11:13  

Bom dia, Macá!

Às vezes precisamos tomar certas decisões na vida, que nos trazem transtornos e sofrimentos. Mas, é sempre bom buscar o silêncio, a natureza, e ela nos ensina, com sua harmonia e beleza, o quanto a vida, a liberdade, o recomeçar são importantes... E assim, saberemos escolher melhor nossos caminhos.

Um grande abraço
Socorro Melo

Palavras Vagabundas 28 de outubro de 2010 11:48  

Macá, amei seu texto para a blogagem. Monet é sempre inspirador.
bjs
Jussara

Nilce 28 de outubro de 2010 12:09  

Macá
Como sempre vc se supera a cada conto.
Monet nos ativa o renascer através desta magia de cores e perfumes.
Perfeito!

Bjs no coração!

Nilce

orvalho do ceu 28 de outubro de 2010 12:49  

Olá, Macá querida
Essa obra linda só pode mesmo inspirar um belo romance... na vida real... vc aproveitou a dica... Exclente!!!
"Começou a observar atentamente o colorido, os raios de sol realçando as cores, azuis, lilazes, rosas, vermelhas, amarelas".
Deu um tom adeqeuado à obra do Pai do Impressionismo...
Seja feliz e abençoada!!!
Abraços fraternos e votos de serenidade.

Susana Vitorino 28 de outubro de 2010 14:03  

Adorei, viajei, vi essa mulher e esse jovem bonito de olhos azuis... vi decisão. Fiquei com vontade de ir atrás....

Bem haja*

Abraço

Susana Vitorino

Lu Souza Brito 28 de outubro de 2010 14:36  

Olá Macá,

Assim como no seu conto, também acho que o contato com a natureza, seja um jardim, o mar, tem o poder de nos levar a uma revisão interna. Clareia nossa mente e mostra as nossas decisões com mais clareza. Não aquelas que devemos aceitar por ser mais conveniente, mas sim aquela que queremos, que nos desafia.
Beijos

Roberta Souza 28 de outubro de 2010 14:52  

olá!!!
Estou passando aqui para dizer que estou sorteado uma linda caixinha de boneca de biscuit.

Participe!!

http://robertaasouza.blogspot.com/

Roberta Souza

Lianara **Lia** 28 de outubro de 2010 16:31  

Lindo conto, Macá!

Precisamos cuidar do nosso jardim interior e regar as flores da nossa alma!

Beijos
Lia
Blog Reticências...

pensandoemfamilia 28 de outubro de 2010 16:59  

Muito próprio para um repensar da vida e despertar para esperança. Belo deslocamente da imagem do quadro para sua localidade e a transformação suscitadas, En fim, temos várias viagens a serem feitas através de Monet.
bjs

Beth/Lilás 28 de outubro de 2010 16:59  

Que lindo Macá!
Você é muito criativa e diante de uma obra dessas, até eu, ousei imaginar e criar minhas sensações.
amei.
bjs cariocas

Tetê 28 de outubro de 2010 17:02  

Oi, Macá... Que texto envolvente... diante de um jardim de Monet a gente só pode mesmo se sentir em extase! Obrigada pela visita ao Livre Pensamento! Bjks Tetê

Nika 28 de outubro de 2010 19:19  

Mácá amo seus textos...realmente um jardim como esse é um lugar para colocar os pensamentos no lugar e tomar as decisões importantes, cercado de tanta paz e tanta beleza os pensamentos com certeza fluem melhor.
bjs

Marli Borges 28 de outubro de 2010 20:37  

Ei Macá,
Que conto, menina!!! Ah, o renascer!
"Era a vida lhe sorrindo novamente."
Já disse, você é uma feiticeira com as palavras. Adoro ler os teus contos!!! Bjssssss

Deia 28 de outubro de 2010 20:54  

OBA!! Minha contadora de contos favorita de volta à ação!! Acho que mais do que os olhos azuis do moço do elevador, ela gostou do fato dele ter lhe dado passagem. Tão importante em um relacionamento!! Um beijo, Deia.

Saozita 28 de outubro de 2010 20:56  

Macá, que belo conto e explanação, a blogagem colectiva tem valor acrescentado com esta sua participação, parabéns.

Homem assim, não ama, julga que ama. Não merece mais o amor da mulher, afinal é egoísta, egcêntrico, manipulador e chantagista.

Tem uma linda noite

Bjs com amizade

Isadora 28 de outubro de 2010 21:20  

Macá, é impressionante o poder dos recomeços. Muitas vezes deixamos de dar um passo importante por medo. Ainda não aprendemos como a vida é sábia e nos coloca apenas nos caminhos certos.
Um beijinho

Lúcia Soares 28 de outubro de 2010 22:31  

Macá, esta tela de Monet nos levou a reflexões profundas.
Para muitos ela foi motivo de recomeços, novas decisões.
Como os olhos ternos do artista consequiram atingir as almas, não?
Beijo!

28 de outubro de 2010 23:50  

Oi Macá!!! Eu adoro essa expressão, "a vida lhe sorrindo". Passa uma segurança, um conforto. Linda sua participação. Bjos

Luma Rosa 29 de outubro de 2010 00:03  

Sim, olhar para a natureza sempre acalma os pensamentos e nos ajuda a pensar mais com a razão. Um refresh, como se tirássemos todo o lixo da nossa mente!
Gostei muito da sua crônica! Mas dizem por aí que uma mulher só fica em dúvida entre escolher entre o amor ou uma profissão quando é nova. Depois de uma certa idade, já com experiências e "pézinho no chão", dificilmente uma mulher negligencia oportunidades profissionais em prol de um homem. Ah, tem que compensar muito!! Certamente, não existe obras iguais as de Monet, porém, olhos azuis...rs.
Bom fim de semana!

Suziley 30 de outubro de 2010 08:42  

Oi, Macá, cheguei, aqui, por causa da blogagem coletiva. Vim, vi e gostei muito do seu blog. Do seu conto. Ele nos remete às mudanças pelas quais passamos na vida. Transformação, renovação. E nada mais propício do que contemplar a beleza da vida que renasce nesse belo jardim de Monet. Parabéns!! Um lindo dia para você, beijos :)

Related Posts with Thumbnails