FELIZ ANO NOVO

>> sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ   ANO   NOVO



Obrigada a todos que compartilharam o seu ano comigo.
Adorei conhecer vocês e espero que em 2011 possamos estar juntos, conhecendo, aprendendo, vibrando, acolhendo, sonhando, abraçando, enfim.................
VIVENDO.
De minha parte, estarei aqui.

beijos

Read more...

Blog Retrô - 2º dia

>> quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

E então, vocês entraram no blog da Elaine Gaspareto para participar?
Espero que sim.
Só que vou contar uma coisa ....... chatinha. Estou em Cumuruxatiba, na Bahia. O hotel é ótimo, meu filho veio com a gente, o lugar é uma delícia, só que................. o celular não pega e conexão pra internet (embora tenha até no quarto) quase que não pega nunca. Consegui uma agora e estou aproveitando para escrever. Então, não vai ser todo dia que vou ler os posts de vocês, mas assim que eu tenha acesso, entro em todos os blogs, combinado?
O meu post de hoje é: http://www.agendailustrada.com/2010/08/o-que-e-uma-casa.html

beijos

Read more...

BLOG RETRÔ

>> quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Acho que todos conhecem a Elaine Gaspareto não? Sim, ela mesma, do blog Um pouco de mim.
Então sabem que ela tem idéias ótimas para nos apresentar e essa é apenas mais uma.
Ela está propondo que a gente publique novamente, os posts que mais gostamos de ter feito durante o ano de 2010, ou o que gerou mais polêmica, mais comentários, ou menos comentários, enfim, você escolhe. Até o dia 05/01/11, podemos republicá-los. Só que você deve entrar no blog dela e avisar que quer participar, para ela poder linkar o seu blog, ok?
E então, vamos lá?
Pra hoje eu escolhi este: http://www.agendailustrada.com/2010/08/blogagem-coletiva-sentimentos-e-emocoes.html

beijos e até amanhã

Read more...

Fanatismo

>> terça-feira, 28 de dezembro de 2010


Fagner e Zeca Baleiro

Minh'alma, de sonhar-te anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida!


Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu amor, a ler
No mist'rioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!...


"Tudo no mundo é frágil, tudo passa..."
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!
E, olhos postos em ti, digo de rastros:
"Ah! podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."

Florbela Espanca

Read more...

E porque é NATAL

>> quinta-feira, 23 de dezembro de 2010


Obrigada a todos vocês, que compartilharam comigo, grandes momentos nesse ano de 2010.
Vou encerrar o ano, que não foi assim.....  tão bom em alguns aspectos, mas dos quais não posso reclamar e sim aprender. Mas por outro lado, foi muito bom emocionalmente, pois conheci pessoas maravilhosas, que dividiram comigo suas emoções, seus sentimentos, suas alegrias, alguns momentos tristes, mas que me passaram uma energia muito boa.
Sei que saio desse ano mais forte, com a certeza de que encontrarei aqui, abraços, carinho, e muita sabedoria.
Tenham todos um santo e mágico Natal.

beijos

Read more...

Receita de doce para o Natal

>> segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Doce de uvas
Acho que eu já comentei em algum post, que depois que a minha sogra se foi (antes do combinado, com certeza), os Natais com a família do meu marido passaram a ser comemorados em casa.
Cada um traz um prato, bebidas, refrigerantes, sobremesas, meu marido faz o perú e eu arrumo a decoração, penso nas lembrancinhas que vou dar a cada um e também faço uma sobremesa. Há um tempo atrás aprendi uma e fiz num Natal. Hum..... pra quê?
Agora, qualquer festinha, reunião e principalmente no Natal, os pedidos são sempre o mesmo: - Macá, você vai fazer o doce de uva não vai?
Então resolvi passar pra vocês também e caso não conheçam, podem fazer que todos vão adorar, além de ser super fácil:

- 600 grs de uva Crimson (ou outra uva sem sementes)
- 1 lata de leite condensado
- 1 colher sopa (rasa) de manteiga ou margarina sem sal
- 1 tablete (180 grs) de chocolate ao leite
- 1 lata de creme de leite.

Modo de fazer
Lave bem as uvas e seque com um pano limpo. Arrume-as numa travessa ou pirex.
Leve o leite condensado ao fogo com a colher de manteiga. Mexa com uma colher e tire do fogo logo depois de começar a ferver.
Deixe esfriar e enquanto isso derreta o chocolate picado (eu faço no microondas) e vá acrescentando aos poucos o creme de leite.
Distribua a mistura do leite condensado em cima das uvas e depois a camada de chocolate.
Enfeite com algumas uvas, ou morango, ou........ o que a sua imaginação mandar.

Agora eu vou contar como realmente faço: Eu compro as uvas sem me preocupar com o peso, e às vezes chego a colocar até duas camadas delas. Porquê? Pra diminuir um pouco o doce do leite condensado.
No chocolate, eu sempre misturo chocolate ao leite com chocolate meio-amargo, e assim acabo pondo sempre um pouco mais do que só um tablete.

E como o Ivan não gosta de chocolate escuro, faço também um pouquinho pra ele com chocolate branco.
Alternativa: Se você gosta de doce com coco, misture um pacote de coco ralado na mistura do leite condensado (receita de beijinho). Fica uma delícia também.

Não é fácil?
Depois vocês me contam se gostaram ok?

beijos

Read more...

Fim de ano. Vida nova.

>> quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Quem já não fez uma listinha das coisas que queria para o ano seguinte? Ou, passando o reveillon na praia, não pensou nas coisas que queria que acontecesse no novo ano em meio aos fogos e as 7 ondas? Ou, em qualquer lugar, com amigos, familiares, sozinhos, não fez um balanço do que tinha imaginado para o ano que se ia, e do que tinha efetivamente alcançado?

E hoje de manhã, abrindo o computador, li o título de um post:
Pra começar um novo ano: Que tal falar de dez coisas que gostaria de mudar em você?

Achei legal, afinal não estava pensando em coisas pra mim, tipo, arrumar um emprego melhor, conseguir comprar um carro novo, mudar de casa, essas coisas.
Mas sim, mudanças internas, e com elas, daí sim, poder pedir o que quer que seja.

Bom, o blog é o MANGA COM PIMENTA que eu adoro, entro sempre (que posso) e a Nana é uma menina-mulher incrível.
Ela começa assim:

"Todas nós temos alguma coisa que incomoda completamente: aquele pneuzinho localizado na barriga e com o verão chegando é o fim da picada. Não podemos esquecer de como administrar a nossa vida, o nosso dinheiro, o nosso tempo e por assim, caminha a humanidade."

"Mas somos blogueiras e as vezes, o meu problema pode ser o seu problema e assim, nos ajudamos ao mesmo tempo, certo?"

"Por isso decidi começar a minha lista para 2011 não com realizações, sonhos e desejos… e sim, falando de dez coisas que odeio em mim:"


Veja o restante do post aqui. Tenho certeza de que vão gostar.
Me conta o que você odeia em você? Será que é o mesmo que eu? Ou como a Nana?

beijos

Read more...

Chegou o Natal. Digital???

>> terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O Natal está chegando. Tem pessoas que gostam de comemorar - eu sou uma delas - outras, nem tanto, e algumas até fogem dele.
Nessa época muitas mensagens são enviadas por e-mail. A época de muitos cartões sendo enviados pelo correio, parece estar fora de moda, a não ser que algumas pessoas, como é o caso da Cris do Canto de Contar Contos, tente resgatar essa forma gostosa de cumprimentos natalinos.
Só que não adianta, a vida e o mundo andam pra frente, e hoje estamos na era digital. 



E aí, gostaram?

beijos

Read more...

Meu melhor amigo?

>> segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

No mesmo ano que mudei para a atual casa que moro, compramos também um cachorro. O Ivan estava com 4 anos, o Felipe com 9 e ambos queriam muito. Escolhemos a raça boxer por ser um bom cão de guarda mas também muito amoroso.
Era uma fêmea e o nome dela era Kilim.
Mas, os animais dessa raça, são muito suscetíveis a tumores e foi o que aconteceu com ela, com apenas 9 anos. Foi uma dor e uma perda muito grande para todos, então nós, pais, resolvemos que iríamos ficar um bom tempo sem cachorro em casa. Isso aconteceu em julho.
No início de novembro, estava eu no escritório e o Ivan me liga:
- Mãe, posso pedir uma coisa?
- Diga filho.
- Ah! vou pedir, mas você não pode dizer não tá?
- Como assim?
- Mãe, ele é tão lindo! Venha aqui ver.
Bom, como o escritório era perto, e como eu estava sem entender nada, fui e ao chegar em casa o que vejo? O Ivan e a Cida (minha ajudante e amiga) com um filhotinho lindo que uma vizinha tinha pego, mas que a mãe não queria de jeito nenhum, então ela estava procurando alguém para doar, e como sabia que a nosso tinha morrido, bateu lá.
Só que o filhote já estava do lado de dentro do portão, e nesse momento eu vi que não tinha mais como devolver.
O jeito foi sair comprar uma caminha, comida, saber sobre as vacinas, estabelecer as regras sobre quem iria cuidar.
Mas tudo se ajeitou e olhe como ele está lindo. Reparem nas patinhas (fazendo pose para a foto?).
DICK
beijos

Read more...

Sacolas, Ecobags, Bolsas

>> sábado, 11 de dezembro de 2010

Meu cunhado Fábio, enviou por e-mail,  para a família toda, bolsas super diferentes, e a minha foi essa abaixo, com a legenda:
Para a Macá: Para se disfarçar e torrar o cartão do Júlio.
(estava brincando, claro, eu jamais faria isso rsrsrsrsrss)

Como estamos em época de compras, escolham a que mais gostam, e saiam desfilando por aí. Só vão ter que aguentar os fiu-fius.


 


Boas compras
beijos

Read more...

Um sorriso muda o dia

>> quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

S O R R I R

Coisa simples não?

Mas as vezes nos esquecemos de fazer isso, e perdemos de ver a reação que isso provoca.
E foi isso que uma bem bolada campanha da Brastemp se propôs. Realizada junto a 11 estações de rádio de São Paulo, onde elas transmitiram simultaneamente o spot Sorriso e convidavam os motoristas a sorrir para o motorista ao lado. 
Vejam o efeito que isso provoca. EMOCIONANTE.




E agora que já sabemos o efeito de um simples sorriso, que tal ampliarmos a campanha?
Você já sorriu hoje?

beijos

Read more...

Coisas loucas

>> terça-feira, 7 de dezembro de 2010


Bom, estamos mesmo perto do Natal, e nessa época as despesas duplicam - ou triplicam? - sei lá, só sei que aumentam, e muito.
Queremos estar com a casa bonita, então fazemos uma pintura, ou uma pequena reforma, compramos algum objeto novo, mais alguns detalhes para os enfeites da árvore de natal, damos uma melhoradinha no jardim, enfim, pequenos ajustes para que a nossa casa, nosso querido cantinho, fique mais bonito, mais confortável, para recebermos os amigos e familiares ou, se não vamos receber ninguém e sim passar na casa de alguém, para que, enquanto estamos lá, possamos sentir o contentamento de estarmos num lugar limpo, aconchegante.
Depois temos os presentinhos de quem nos atende o ano inteiro: lixeiro, entregador de jornal, de revistas, cabelereiro, manicure, a secretária do médico; se temos empregada, o salário dobrado por conta do 13º terceiro. São muitas despesas.
Agora, existem pessoas, mesmo que muito próximas e muito queridas, a quem podemos dar uma lembrancinha, enquanto que pra outras, temos que dar um presente.

"COMEMORAÇÕES de fim de ano têm um lado consumista. Mas têm um lado poético. É  encantadora a expressão "É só uma lembrancinha". Já a palavra "presente" evoca uma proposta diferente" diz Marion Minerbo em seu artigo Presentes e Lembrancinhas, publicado na Folha Equilíbrio desta data.
 -----------------------------------------------------------------------------------------------------------

É preciso olhar os objetos de forma criativa, até que um traduza nossa visão do presenteado
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
A lembrancinha é um objeto relativamente banal, não tem grande valor utilitário nem custa caro, daí o diminutivo. Ela é, sobretudo, despretensiosa, o que realça seu valor simbólico. É entendida como uma atenção desinteressada e gratuita. Quem dá não espera reciprocidade, embora isso acabe acontecendo.

Não é necessário muito tempo para encontrar uma lembrancinha. Embora escolhida com carinho, ela não precisa ter a cara de quem dá ou de quem recebe. E serve para presentear uma gama variada de relações: amigos, colegas, pessoas que nos prestam algum serviço.

Nesse sentido, é um gesto que não compromete quem dá, nem quem recebe. Tem um papel importante na sociabilidade feminina. Quem ganha se surpreende, quem não ganha não se ofende.


O presente é outra coisa. É mais formal e está ligado a datas oficiais. Gera expectativas do lado de quem dá e de quem recebe. Precisa ter nossa cara. O embrulho é importante. Queremos fazer bonito.

Mas também queremos que ele tenha a ver com quem recebe, pois indica ao outro como o vemos. Quando alguém abre o pacote, é gratificante testemunhar sua alegria. Não apenas pelo novo objeto, mas, principalmente, por se sentir reconhecido por nós em sua singularidade.

Dar presente ou lembrancinha é fazer declarações de estima, só que com ênfases ligeiramente diferentes. O presente acentua a doação de minha parte ao outro (pelo tempo e dinheiro que lhe dediquei), bem como meu desejo de fazer parte de sua vida.
A lembrancinha diz ao outro que ele faz parte da minha.


Quando o ato de comprar está ligado a mensagens desse tipo, deixa de ser mero consumo e passa a ter valor simbólico. Torna-se significativo. Resgatamos o sentido profundo do gesto de presentear, que corria o risco de se perder em meio à "compração" frenética de fim de ano.
--------------------------------------------------------------------------------
MARION MINERBO, psicanalista da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, é autora de "Neurose e Não-Neurose" (Casa do Psicólogo)


Veja a matéria completa aqui

beijos

Read more...

Minha idéia é meu pincel

>> quinta-feira, 2 de dezembro de 2010


Quando a campainha tocou, ela teve um sobressalto. Estava cochilando. Antes, estivera pensando nas ausências, na saudade.
Levantou do sofá e foi atender à porta. Era o moço dos correios. Pegou a correspondência e dentre elas, uma se destacou. Um envelope amarelo. Entrou em casa, colocou as demais sobre a mesa e sentou novamente no sofá. O que seria?
Tentou abrir com cuidado, assim mesmo rasgou num canto. Tirou de dentro o papel impresso com cores vivas. CONVITE. Uma festa. Leu com atenção e imediatamente começou a pensar em como seria. Ah! Nessa festa ia muita gente bonita, alegres, comunicativas; ela se lembrava bem na do ano anterior. Em sua cabeça já pensava com que roupa iria. Nada de pretinho básico, iria aproveitar o colorido da moda.
Mas ela queria algo mais. Pensando bem, queria mais amigos.
Mentalmente começou a imaginar. Teria que começar logo, pra não cair na correria.

Festa de Faz de Conta
Iria fazer uma Misturação entre as pessoas, do Brasil e fora deles. Ia chamar a Violeta, a Marli, o ManDrag. O Alexandre, que já percorreu Tantos caminhos e agora estava perdido lá no Japão. O Antonio Rosa viria? Acho que sim, precisava sair um pouco lá da sua Cova do Urso. E a Chica? Ah! essa virá com certeza, pois como ela sempre diz, adora ver as cores da vida. E a Manuela? Ela é sempre muito Light, mas eu vou dizer a ela que na festa não servir Absinto de jeito nenhum. Vai ter é muita música, muito barulho, então nela não terá espiritualidade-poesia, mas tenho certeza que a Orvalho do Céu vai gostar. A Élys vai ter que sair de seu Recanto poético e entrar na dança. A Astrid poderá navegar infinitamente entre a música e as pessoas. O Willian vai deixar seus Versos de fogo por um tempo, e abrir a roda. Mas todos vão se comportar muito bem, porque a Elaine vai contar tudinho em seu book depois. A e a She, vão sair de seus cantinhos e virão ajudar a alegrar festa. A Tati, hum..... a Tati não tenho certeza se virá, mas caso não venha, tenho certeza que fará muitas perguntas!
E quando tocarem a música A Vida de uma guerreira, ah! vai ser muito bom, não vou Pensar em Família, e Seguindo minhas pegadas vou continuar dançando com toda minha alegria, com meus amigos em volta.
Já sei que a Lelê vai ficar olhando todo o projeto da festa e isso é muito bom.
A Fátima da Gamela Presentes também vai. Será que vai rolar presentinhos? Não, melhor não pensar nisso, é muita gente. A Nana tenho certeza que irá. E se a Rosana fizesse toda decoração, não ia ser bacana? A Giovanna poderia ajudar com seus Bordados e Retalhos.
Vou convidar também a Jussara a quem vou dar um recadinho: lá, as palavras vagabundas podem ser ditas à vontade, a Cris França, A Verô, a Fernanda, a Iram, a Lenita, a Mila, a Lucia Soares, a Irene Moreira, a Joana Campos, a Suzana Vitorino, a Elaine Gaspareto, as meninas do Mimos Chics também vão, a Siala e o Manuel Marques porque quero ter Visões do Mundo inteiro, e a todos vou Acolher com Amor.
Não vai ser boa a festa? Preciso ainda rever minha lista, pode ser que eu tenha esquecido algumas pessoas, mas até lá dá tempo.
Ah! estava me esquecendo de dizer que a festa será abençoada pela Mãe Gaia. Quer melhor?
E o melhor da festa, não vou contar, vai ficar nas ...
Agora vou sair pra combinar com a Glorinha e tomar um Café com bolo com ela.
Vou aguardar a confirmação de todos vocês, ok?

beijos

Esta foi a última semana da Blogagem Coletiva proposta pela Glorinha do Café com Bolo, e nesta semana falamos sobre a tela Bumba meu Boi do Antonio Poteiro.

Read more...

Pois é, pra quê?

>> terça-feira, 30 de novembro de 2010

Pois é, Pra Quê?

MPB4
Composição: Sidney Müller
 
O automóvel corre
A lembrança morre
O suor escorre
E molha a calçada
A verdade na rua
A verdade no povo
A mulher toda nua
Mas nada de novo
A revolta latente
Que ninguém vê
E nem sabe se sente
Pois é, prá que?

O imposto, a conta
O bazar barato
O relógio aponta
O momento exato
Da morte incerta
A gravata enforca
O sapato aperta
O país exporta
E na minha porta
Ninguém quer ver
Uma sombra morta
Pois é, prá que?


Que rapaz é esse?
Que estranho canto
Seu rosto é santo
Seu canto é tudo
Saiu do nada
Da dor fingida
Desceu a estrada
Subiu na vida
A menina aflita
Ele não quer ver
A guitarra excita
Pois é, prá que?


A fome, a doença
O esporte, a gincana
A praia compensa
O trabalho a semana
O chopp, o cinema
O amor que atenua
Um tiro no peito
O sangue na rua
A fome, a doença
Não sei mais porque
Que noite, que lua
Meu bem, prá que?


O patrão sustenta
O café, o almoço
O jornal comenta
Um rapaz tão moço
O calor aumenta
A família cresce
O cientista inventa
Uma flor que parece
A razão mais segura
Prá ninguém saber
De outra flor
Que tortura...


No fim do mundo
Tem um tesouro
Quem for primeiro
Carrega o ouro
A vida passa no meu cigarro
Quem tem mais pressa
Que arranje um carro
Prá andar ligeiro
Sem ter porque
Sem ter prá onde
Pois é, prá que?

Pois é, prá que?

Pois é!



beijos

Read more...

Viajando em pé

>> segunda-feira, 29 de novembro de 2010

No início deste mês, voltando da minha viagem à Fortaleza, estranhei que o encosto da cadeira do avião não reclinava. Perguntei para a aeromoça e ela me disse que a fileira onde eu estava não reclinava mesmo, porque atrás dela era a saída de emergência, onde o espaço é maior.
Mas, como tinha cadeiras sobrando eu podia mudar de lugar. Claro que fiz isso e duas fileiras atrás não tinha ninguém; então vim de lá até aqui sentada sozinha e com todo o espaço (que nem é tanto assim) só pra mim.
Dias depois vi uma reportagem no jornal falando sobre os espaços entre as poltronas, com a figura abaixo:

Assentos perto da saída de emergência tendem a ser mais espaçosos e, como são disputados, podem custar mais caro.
Veja a reportagem completa aqui.

Onde você gosta de sentar numa aeronave? Hum.... se meu marido ler esse post já vai responder: Em nenhum lugar, eu não gosto de andar de avião.
Mas quando você compra uma passagem fica atenta aos melhores lugares ou nem pergunta?
Como os lugares estão cadas vez menores, é bom marcar, pelo menos, as poltronas que tenham mais espaço para as pernas.

Bom, eu disse tudo isso para voos de classe econômica, claro. Classe executiva já é outra coisa!

Mas, no mesmo jornal (Folha de São Paulo) havia outra reportagem falando sobre voos, que me chamou a atenção:

Companhia quer que cliente voe em pé
Hum? Como? É isso mesmo?
Sim, é isso mesmo.

"A maioria dos passageiros reclamam de falta de espaço na classe econômica. Mas isso ainda pode piorar?"
Veja a matéria completa aqui.

E pensando nisso, estava preparando um post dedicado ao assunto, mas hoje eu li a coluna do Moacyr Scliar, também na Folha de São Paulo, e achei que seria bem melhor um conto dele do que meu.

Viajando em pé


Companhia aérea quer que cliente voe em pé. Com a popularização das viagens aéreas, o aperto na classe econômica tem crescido. A Ryanair, empresa europeia aérea "low cost" (de baixo custo) planeja diminuir o preço dos bilhetes e atrair clientes nas viagens de até uma hora, com o assento em pé ("vertical seating"). De acordo com a Ryanair, se o projeto for implementado, haverá passagens por até 4 libras esterlinas (cerca de R$ 10).
(Folha de São Paulo -Turismo, 18.nov.2010)

"PREZADOS PASSAGEIROS, desejamos chamar vossa atenção para a vantagem que representa viajar de pé em um avião, vantagem esta que não se restringe exclusivamente ao menor preço da passagem.
Não, queridos passageiros, há muito mais que isso. Viajar de pé é um novo estilo de vida, uma celebração da espiritualidade.
Para começar, o passageiro que viaja em pé enxerga mais longe na aeronave, enquanto o passageiro comum, sentado, tem sua visão bloqueada pelo assento à frente.
Em pé, ele pode ver, por exemplo, dois conhecidos executivos -de companhias concorrentes-, conversando em voz baixa. Não estará em curso uma fusão, com repercussões na Bolsa de Valores?
O passageiro que viaja em pé tem mais dignidade. Trata-se, aliás, de uma antiga noção. Todos os poemas, todas as canções que convocam os seres humanos falam nisso. Para ficar com um só exemplo, podemos citar o hino da Internacional Comunista, que mobilizava as massas a buscarem a igualdade e a justiça social.
E o que diz a letra desse hino? Exatamente isso: "De pé, ó vítimas da fome". De pé, as vítimas já não são mais vítimas, são lutadores destemidos, uma condição que as pessoas podem conquistar em nossos voos a preços módicos.
Finalmente, é preciso dizer: o passageiro que viaja em pé está, por óbvias razões, mais perto de Deus. Os benefícios dessa posição são evidentes. Se, por exemplo, o avião atravessar uma zona de turbulência, todos certamente clamarão pelo Senhor. Mas aqueles que estão em pé têm muito mais chance de ouvir uma voz grave dizendo: "Não temas, meu caro, estou aqui, próximo a ti.
Bem-aventurados os que viajam em pé". E não será, tenham certeza disso, uma gravação."
MOACYR SCLIAR escreve nesta coluna, às segundas-feiras, um texto de ficção baseado em notícias publicadas no jornal.

beijos

Read more...

Você negaria um pedido desses?

>> domingo, 28 de novembro de 2010

O pedido era:
- Macá, este ano você vai participar da arrecadação de cestas da Abadia São Geraldo?
- É a mesma dos outros anos?
- É sim; ah! que bom, e será que você pode enviar o e-mail para a sua lista de amigos?
- Claro que posso.
- Oba! Ok, brigadão, beijos.


Quem me fez esse pedido foi meu filho mais velho Felipe, e me enviou o e-mail abaixo:


"Família,

Mais um fim de ano se aproxima e com ele a Gincana de Natal do Movimento PAX (www.movimentopax.org.br), da qual estou participando por mais um ano!!


Objetivo
Para quem não conhece, essa gincana tem por objetivo principal a arrecadação de cestas básicas, que serão doadas ao longo de todo o ano seguinte para famílias carentes das comunidades de Paraisópolis e Jardim Colombo. Acessoriamente, doamos e incentivamos a doação de sangue e arrecadamos produtos de necessidades básicas para asilos.

Projeto
Trata-se de um trabalho sério realizada pela Abadia São Geraldo http://www.asg.org.br/, a qual mantém um cadastro atualizado das famílias beneficiárias dessa ação. Ao todo, são distribuídas 4.300 cestas básicas anualmente, uma vez que são 300 as cestas entregues mensalmente de janeiro a novembro e 1.000 cestas somente no Natal (dezembro)!!!

Gincana
Realizamos essa gincana visando arrecadar a maior parte do montante necessário para garantir o atendimento a todas as famílias cadastradas. Nos últimos anos, temos superado a marca de 2.000 cestas básicas, número que cobre somente 50% da necessidade desse programa. A outra metade tem sido suportada por doadores mensais.
Neste ano queremos bater a meta de 3.000 cestas básicas arrecadadas somente a partir da Gincana de Natal!!! É um objetivo difícil, mas o qual acreditamos ser possível.
GRAÇAS A VOCÊ!!!


E para isso contamos com a ajuda de cada um de vocês!!!


Todos que trabalham para que os resultados sejam obtidos, como eu, são meros intermediários, mas nossos esforços somente serão recompensados com o retorno em doações. Nós mesmos suportamos um alto percentual do número de cestas básicas arrecadadas, mas ele é só uma parte e o restante depende da boa vontade de nossos amigos e conhecidos.

O porquê
O motivo de sua ajuda é você quem escolhe! Mas do mais simples e natural gesto de querer compartilhar, ao mais íntimo dos estímulos morais, vale lembrar que a nossa campanha não tem fim propagandista, não apoia entidade política e, apesar de ser ligada a uma instituição religiosa, não defende credo, porque a verdadeira solidariedade é um ato ecumênico, despido de qualquer interesse.

Como ajudar
O valor da cesta básica comprada pela Abadia este ano é de R$ 45,00 e as doações devem ser feitas até o dia 09/12, véspera da entrega da arrecadação final.
Vale lembrar que são três os fornecedores habituais desse projeto - Calvo, CBA e Marbel -, sendo que todo mês é negociado o melhor valor de compra com cada um deles para que seja feita a escolha pelo mais barato.
As doações poderão ser feitas: (i) em dinheiro; (ii) cheque nominal à Abadia São Geraldo; e (iii) através de depósito em minha conta corrente(*).
Eu asseguro a vocês que tudo o que for doado através de mim será devidamente repassado a esse projeto, inclusive me prontifico a digitalizar e enviar aos doadores o cheque por mim dado, bem como o meu extrato bancário.
Aos que se interessarem, a Abadia São Geraldo fornece recibo no valor da doação.
Para aqueles que fizerem a doação em cheque ou dinheiro, posso ir buscá-la junto à cada um para facilitar.

Beneficiários
Diretamente: são as mais de 300 famílias carentes de Paraisópolis e Jardim Colombo participantes do projeto e, sendo assim, destinatárias das cestas básicas que lhes são entregues durante todo o ano.
Indiretamente: são aqueles que ajudam, seja arrecadando ou doando. E é por esse motivo que o dia da entrega das cestas é aberto a todos aqueles que queiram participar e ver o fruto de sua ajuda traduzido no sorriso e na gratidão dos idosos, adultos e das muitíssimas crianças presentes nesse momento de festa para a comunidade!
Desde já eu agradeço imensamente a todos os doadores e também a todos aqueles que se dispuseram a ler este longo porém necessário texto até o final.
Caso queiram repassar para sua lista de e-mails, fiquem à vontade.
Um grande abraço e um ótimo Natal a todos!"
Sei que não é fácil, principalmente nessa época do ano, onde temos mais despesas, arcar com mais uma, mas sei também que é muito bom sentirmos aquela sensação boa de estar ajudando ao outro.
Então, se você está querendo ajudar alguém e não sabe como, agora já tem uma idéia.

beijos

(*) - caso você se interesse em participar e quer fazer depósito em conta, entre em contato comigo para eu passar os dados.

Read more...

BLOGAGEM COLETIVA - Minha idéia é meu pincel

>> quinta-feira, 25 de novembro de 2010

tela de Frida Kahlo - Auto Retrato


Parecia estar escrito: sua vida não seria nada fácil.
Logo após o seu nascimento, sua mãe engravidou novamente e não pode amamentá-la. Para suprir essa falta, contrataram uma ama de leite, mas esta simplesmente “fazia seu serviço”. Sentava, amamentava, levantava e ia embora. Carinhos, afagos? Nada.
Essa falta de atenção provavelmente iria se mostrar um dia.
Era muito apegada ao pai, que todo dia após o trabalho, se refugiava num canto da casa para rabiscar umas telas. Não tinha feito nenhum curso de pintura, mas gostava da mistura das tintas, do colorido aparecendo nos desenhos sem forma na tela. Ela ficava ali olhando aquela busca constante de algo que nunca aparecia completamente.
Ainda criança foi afetada pela paralisia infantil. Não entendia direito aquilo que estava lhe acontecendo, mas tão logo percebeu que não conseguia andar direito, soube que iria sofrer, e assim que voltou à escola começou a ver os risinhos escancarados na cara de seus colegas e logo ganhou o apelido de “perna de pau”.
Não era fácil conviver com isso mas não tinha o que fazer. Sofria quieta, calada no seu canto. Na adolescência começou a tomar consciência do seu corpo, do seu rosto, sua imagem focada no espelho. Se achava feia, sem graça e ainda por cima, mancava.
Não tinha amigos para conversar e fazer confidências.
Mas tinha uma coisa que gostava muito. Museus. Os dois que tinham em sua cidade ela já tinha explorado por diversas vezes. Começou então a se interessar por livros que falassem sobre eles e assim foi conhecendo diversos pintores.
Era infeliz e não sabia o que fazer para melhorar isso.
Mas a vida - que é uma caixinha de surpresas - ainda não tinha lhe mostrado todas as garras. Um dia, voltando da escola, o ônibus em que estava derrapou, bateu forte e ela foi arremessada longe como um pacote caindo de um penhasco.
Sofreu diversas fraturas, teve o corpo perfurado de tal forma que lhe deixou incapacitada para ser mãe. Mas isso ela ainda não sabia. Passou por muitas cirurgias e teve que ficar de cama por muito tempo.
Quase sempre sozinha, com dores que atravessavam seu corpo, sem ninguém para lhe ouvir o choro, buscou ajuda nos seus livros antigos, voltando a visitar os museus, imaginando que isso pudesse fazê-la esquecer, pelo menos um pouco, todo sofrimento.

E, numa tarde fria e chuvosa ela começou a ler e parou: As coincidências eram muitas. Aquilo a tomou de uma tal forma que ela queria saber tudo sobre essa pintora: Frida Kahlo.


Suas vidas eram parecidas, a doença na infância, o acidente na adolescência, a falta de beleza e mesmo assim ela retratava aquele rosto, colocava na tela as nuances da tinta e da dor e aquilo tudo era belo, era arte.

Pensou que gostaria de ter aprendido a pintar. Conseguiria fazer seu auto retrato?
Pensava naquilo quase que diariamente. Um dia, aproveitando a presença do pai, pediu a ele que lhe emprestasse sua caixa de tintas e lhe arrumasse um espelho.

O pai então, feliz por ver a filha empolgada com alguma coisa, trouxe também um cavalete, para que ela pudesse pintar.
Ela agradeceu mas recusou. Pediu ajuda para levantar um pouco as costas, e com ajuda dos travesseiros quase dava para ficar sentada. Colocou almofadas nas pernas onde apoiou o espelho.

Ao seu lado a caixa de tintas e uma palete. Escolheu um pincel, misturou algumas tintas e olhando fixamente para o espelho à sua frente, começou a pintar ........o próprio rosto. Primeiro a testa. Gostou da cor e da textura. Com um pincel maior foi mesclando tintas na face. Os olhos foram marcados com um pincel mais fino, mas com traços fortes. As sobrancelhas receberam tinta escura de um pincel chato. Os lábios foram pincelados com tinta carmim.
Misturou mais algumas tintas e com ela foi tingindo pequenos pontos da face. Chamou pelo pai que olhou assustado pra tudo aquilo e pediu a ele que tirasse uma foto.
Gostou do resultado e sorriu.
Ainda não estava feliz e também não sabia se retratar em tela, mas já tinha algo para fazer e amenizar a sua dor. 

Esse texto faz parte da Blogagem Coletiva "Minha Idéia é meu Pincel" proposta pela Glorinha do Café com Bolo - iniciada em 28/10.

beijos

Read more...

Nem marido, nem namorado

>> terça-feira, 23 de novembro de 2010

A semana passada eu li um artigo da Mirian Goldenberg cujo título era:

Nem marido, nem namorado
Apesar de tantas mudanças, ainda faltam bons nomes para definir os novos formatos de relacionamento amoroso

(Mirian Goldenberg é Doutora em Antropologia Social pelo Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora do Departamento de Antropologia Cultural e do Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia do IFCS/UFRJ.)

E começava assim: 
MUITAS mulheres dizem que não sabem como definir o homem com quem estão tendo uma relação afetiva e sexual.
Algumas moram junto, mas não são casadas legalmente. Outras moram sozinhas, mas têm um compromisso estável. Outras ...... (ver matéria)


Não gostam de chamar de "namorado"(parece ser mais coisa para jovem), "marido" (não, já que não se casaram no papel),  "namorido" (é feio mesmo não?), companheiro (já pensam em política), parceiro (pensam em negócios).
Na matéria vocês podem ver que a autora pede sugestões para ver se  conseguimos descobrir uma definição mais satisfatória para as novas formas de conjugalidade.
Algumas pessoas responderam no caderno de hoje, sugerindo:
- Disponíveis e indisponíveis
- Parceria conjugal
- Colega de viagem
- Relacionamento sério
Enquanto trabalhava à tarde, pensei no assunto.
Por exemplo, eu encontro vocês e para apresentar o meu ....., meu ....., bem, para apresentar o Júlio digo:
- Este é meu homem e ele está indisponível para vocês? (hum?); ou
- Este é meu parceiro conjugal; ou
- Este é meu colega de viagem (acho que ele me mata!); ou
- Este é o homem com quem eu tenho um relacionamento sério! ops, (quer dizer que posso ter outros relacionamentos não muitos sérios?).


É, não dá não.


Então, vocês não querem ajudar a escritora nessa matéria? Como vocês acham que esses relacionamentos deveriam ser chamados? Dê a sua opinião.
Vou encaminhar pra ela o resultado, ok?
Já vou dizendo por mim: eu chamo e apresento como marido mesmo, tá?


beijos

Read more...

Insanidade em Fortaleza

>> segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Vou continuar falando um pouquinho sobre Fortaleza(CE), mas prometo que é o último post, ok?
É que eu queria contar uma coisa.

Eu nunca fui de gostar de esportes e brinquedos radicais, sempre tive medo, então o Beach Park nunca significou nada. Meus filhos já foram (o mais velho algumas vezes) e sempre voltavam falando muito, felizes, querendo mais.
Como estávamos lá, meu marido fez questão de ir e marcou o passeio. Eu não ia estragar o dia, certo?, então fui mas já imaginando que praticamente iria fotografar.
Bem, para quem não conhece, o parque fica no município de Aquiráz a 27 km. da capital.
No caminho a guia foi informando sobre todas as regras que devem ser seguidas dentro do parque, de como comprar os ingressos; o aluguel de armários (grande e pequeno) onde se paga o valor antecipadamente + um valor caso se perca a chave; do depósito feito para poder comer e beber lá dentro (nenhum dos lugares recebe dinheiro, só o cartão que nos é dado quando fazemos um depósito), essas coisas.
Tanto o ingresso quanto comer lá é muito caro, quer dizer, pra mim é, mas o valor do ingresso compensa. É muito bom.
Eu me surpreendi indo em vários brinquedos, só que não vão aparecer aqui porque não tinha quem tirasse as fotos.
Nesse, por exemplo, fui várias vezes, numa bóia dupla, e que dá um frio na barriga.
Nesse, nem pensar, não parece mas essa descida (e subida do outro lado) é muito grande. Dá frio na barriga só de olhar.
Aqui é muito gostoso. Quando aquele balde enorme lá em cima enche, ele vira e a água cai forte na gente.
Neste temos que subir vários lances de escada, e a descida dá muitas voltas. Olha o Júlio chegando aí.
Bom, este é o famoso INSANO e nesse eu não fui mesmo. Seria uma insanidade. Pra vocês que me conhecem já sabem: eu sou loira, então pensem, numa queda brusca como essa, os 2 neurônios resolvem se desligar, não.... não podia correr esse risco, rsrsrsrrs
Mas é de arrepiar; são 41 metros de queda livre, onde o corpo sai do encosto por uns 30 cm nos cinco segundos que demora para chegar lá embaixo. Hum..... não, pra mim não dá.
Mas, tirando a comida que não é lá essas coisas, vale a pena se desligar de tudo do meio de tanta água. VALEU.

beijos

Read more...
Related Posts with Thumbnails