Blogagem Coletiva - Sentimentos e Emoções - Inveja

>> sexta-feira, 13 de agosto de 2010

"INVEJA é sua forma incompetente de me admirar."

Ela olha para sua imagem no espelho e ...... gosta. Acha que falta alguma coisa, mas, ninguém é perfeito, diz consigo mesma.
Morena clara, cabelos e olhos castanhos, 1,65 m de altura, corpo perfeito. É não pode reclamar não. Tomou um sol, sua pele ficou com um bronzeado bonito.

Sabe que chama a atenção por onde passa e ela gosta disso.

Filha única de um casal bem estabelecido, já tinha começado a pensar em trabalho. Não queria depender dos pais.
Se arrumasse um namorado rico, podia até ser, mas enquanto isso, iria trabalhar.

Se veste bem, é muito paquerada na faculdade, já teve 2 namoros mais sérios e muitos ficantes. Enquanto espera o príncipe encantado (ela sabe que isso não existe) vai conhecendo as pessoas e, quem sabe?
Um dia, marcou encontro com umas amigas num barzinho pra jogar conversa fora. As amigas foram chegando e uma delas veio com outra que tinha encontrado perto dalí. A noite foi gostosa, conversaram muito, riram muito, comentaram sobre os ex, futuros, atuais e ela gostou muito da amiga que ninguém conhecia.

Trocaram telefones, e-mails e daí começaram uma nova relação de amizade.
Elas eram diferentes, mas se deram muito bem. Sabe aquela coisa de afinidade?

Conversavam muito, trocavam idéias, uma foi conhecer a casa da outra, ficaram amigas da família, tanto que as amigas mais antigas começaram até a sentir ciúmes. Mas não deixaram de se ver também. Apenas, essa nova amiga era, assim, seu complemento.

Mas, por mais paradoxal que possa parecer, enquanto mais admirava a amiga, que tinha uma vida mais simples, trabalhava já há um bom tempo, estudava à noite, sentia, às vezes, uma coisa que ela não conseguia saber o que era. Ou então, não queria admitir.

A amiga, assim como ela, também tinha cabelos castanhos, mas com reflexos mais claros, só que........

Não, não podia ser isso. Ou podia? Não, não e não.



Não é porque ela tem 1,70 e olhos verdes que eu estou assim. Não pode ser!
Mas era.
Olhos que ela sempre quisera ter, assim como os 5 cm (podia ser 3 apenas) a mais.
É porque ela achava que, se tivesse isso, seria imbatível.

A inveja começou a consumi-la.
Passou a ter dores de cabeça, simplesmente para estragar um momento. Durante um almoço ou jantar onde estavam se divertindo, seu estômago doía, ela se lamentava, e as atenções passavam a ser suas.
Ela refletia: não era sua culpa não ser mais alta nem ter os olhos castanhos iguais aos do pai. Ah! Mas ela queria tanto.
Tanto que passou a boicotar a amiga em várias situações.
Sentia-se mal fazendo isso, mas não resistia, e as coisas foram se complicando.

E num dia, quando um cara da faculdade que ela tinha começado a olhar com outros olhos, chegou e perguntou sobre a amiga de olhos verdes, não resistiu.
Inventou poucas e boas inverdades, e a amizade que tinha sido tão linda, acabou ali.

Ah! A ex amiga se casou com o cara que tinha perguntado dela, já tiveram um filho e ela já está grávida novamente, agora de uma menina, que ela espera, seja loira de olhos verdes.

Essa postagem faz parte da Blogagem Coletiva - Sentimentos e Emoções, proposta pela Glorinha do blog Café com Bolo. Hoje falamos sobre a Inveja.

beijos

22 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez 13 de agosto de 2010 07:02  

O texto está muito bom.
Infelizmente vi muito disso acontecer na vida real... amizades se acabarem porque a outra é mais bonita ou pq tem não sei qtos quilos a menos, olhos mais bonitos, etc...

Tem gente que se deixa dominar pela inveja...
bom dia

Tati Pastorello 13 de agosto de 2010 07:46  

Oi Macá, acho que todos nós já vivemos este sentimento em nossas vidas. Basta identificá-lo para refreá-lo e não permitir que faça mal a alguém que gostamos e admiramos tanto que chegamos a invejar. Eu não me excluo da massa não. Tomo cuidado em me vigiar, isso sim!
Adorei seu texto!
Beijos.

Lu Souza Brito 13 de agosto de 2010 10:06  

OLá Macá,

Quem não consegue dominar a inveja prejudica o outro, mas o outro segue a vida e pronto, mas o invejoso mantém aquele sentimento ruim por muito mais tempo - e é quem mais sofre.
O texto está excelente.
Beijo

orvalho do ceu 13 de agosto de 2010 10:09  

Olá, amiga
A VERDADE nos liberta...
Tenhamos ótimo dia e reflexão com essa sugestão da Glorinha!
Bjs e serenidade para discernir...

Socorro Melo 13 de agosto de 2010 10:15  

Oi, Macá!

O seu relato retratou com fededignidade um caso típico de inveja, como tantos que conhecemos na vida.
Infelizmente, às vezes, ao invés de nos espelharmos nos outros com intenções positivas, ou seja, nos impulsionarmos para conquistar o que desejamos, fazemos o contrário, desejamos aquilo que o outro tem. Até aí tudo bem, pior é se nos sentirmos incomodados com a felicidade do outro, em detrimento da nossa própria.
Ótima participação. Acho deliciosas suas histórias.

Isadora 13 de agosto de 2010 10:40  

Macá, excelente conto, porém triste percebermos que a inveja, na sua forma pode desmerecer, fazer um juízo ruim uma pessoa.
Envejamos aqueles que tem o que gostaríamos de ter, e na incapacidade de entendermos e aceitarmos isso, usamos de todos os artifícios para fazer com que o outro pareça menor, inferior ao olho de quem queremos. Isso é vil, pois sustentasse na mentira também.
É difícil acreditarmos que muitas vezes não ganharmos, aquilo que tanto queremos é uma benção.
Um beijo

Nilce 13 de agosto de 2010 11:14  

Oi, Macá

É uma pena que essa realidade esteja presente e que a inveja tenha acabado com a própria invejosa.
O que poderia ter se transformado em carinho eterno, tornou-se um ódio que só prejudicou a pessoa que invejou.
Por isso temos que levar o pensamento "inveja" como maneira de nos aperfeiçoarmos e tentar uma busca em melhorar como ser humano.

Bjs no coração!

Nilce

Deia 13 de agosto de 2010 11:34  

Oi Macá. Você descreveu, na minha opinião, uma das faces da inveja: o não suportar estar perto daquele que tem aquilo que lhe falta para você ser mais feliz/mais bem sucedida/mais querida. A moça do conto não poderia batalhar para conseguir nenhumas das coisas que a outra tinha, e isso a consumiu terrivelmente. Mas, todos merecem uma segunda chance: quem sabe em um próximo conto ela aprende com seus erros e se torna uma pessoa melhor? Nada é unidimensional, chapado. Quantas vertentes!! Um beijo, Deia.

Eliane 13 de agosto de 2010 11:41  

Inveja o sentimento dificil quando conseguimos domina-lo até pode produzir algo bom, mas a maioria prefere destruir por ela.Hoje é um dia bom pra pensar a fundo sobre a D. Inveja. Um beijo e um lindo dia sem inveja.

Glorinha L de Lion 13 de agosto de 2010 12:11  

Eu acho que penso igual à Tati, e já disse lá no meu blog. O importante é saber reconhecer esse sentimento para então lutar contra ele. Já fui vítima e já senti, portanto, todos nós temos. Adorei seu texto amiga, vc escreve divinamente! Beijos.

Chica 13 de agosto de 2010 12:41  

Que lindo teu texto e realmente isso acontece!um beijo,lindo fds,chica

Lúcia Soares 13 de agosto de 2010 16:04  

Macá, a inveja do "impossível" ainda é pior, mesmo. Ela, por mais que quisesse, nunca teria mais centímetros nem os olhos verdes (se bem que lentes verdes...).
Invejar um amor, destruir a vida do outro só pra ter o que se quer, tudo isso é inveja das puras.
Mais valia ela ter uma admiração sincera pela amiga e continuarem a vida juntas.
Por isso fujo da inveja. Não nos leva a lugar nenhum!
Beijo e bom fim de semana!

Leci Irene 13 de agosto de 2010 16:18  

Menina,vim aqui agradecer a tua visita ao meu cantinho! Cheguei aqui e encontrei este cantinho super acolhedor! Amei! E linda a tua história sobre a inveja -uma abordagem em cima de um caso que quero crer seja real. São casos assim, onde a inveja nos transforma em pessoas más que destroem todo e qualquer relacionamento...
Beijos - voltarei!!!
Leci

Bordados e Retalhos 13 de agosto de 2010 16:19  

Acho que história é muito verdadeira. Confirma o que eu penso: a inveja só faz mal pra quem sente. A outra tá lá feliz com o cara que ela olhou comoutros olhos. Bjs ], linda participação.

manuel marques 13 de agosto de 2010 18:00  

Invejar a felicidade alheia é loucura: não nos saberíamos servir dela. A felicidade não se quer de confecção, mas sob medida .

Beijo e bom fim de semana.

Amica Philosophiae 13 de agosto de 2010 20:59  

Esse é um baita exemplo do que é a inveja e do que ela pode fazer.
Um abraço
Cynthia

Beth/Lilás 13 de agosto de 2010 23:03  

Macá queridona!
Demorei, mas cheguei!
Chiii, essa daí já passou na vida de muita gente, acho que encontrei algumas assim, mas morrem no seu próprio veneno.
Inveja é um sentimento que está embutido em nossa humanidade, mas é horrível, devemos lutar para não deixar que isto consuma nossos corações.
beijos grandes cariocas

Meru Sâmi 14 de agosto de 2010 00:28  

Oi, Macá,
Agradeço pelo seu comentário sobre minha postagem.
E, ainda bem que minha amiga não se deixou dominar, como a amiga do seu relato.
A inveja pode acabar não só com amizades bonitas, mas também com a reputação de alguém admirado pelos outros.
Gostei muito do seu post. Parabens!

Bom fim de semana...
beijos.

diariodumapsi 14 de agosto de 2010 22:00  

O seu conto reflete muito bem a inveja entre as pessoas,nesse caso, entre as mulheres, mas esse não é privilégio apenas delas, os homens também sentem inveja...

É muito triste ver amizades acabarem por causa da inveja, e isso é mais comum do que imaginamos!
Gd beijo

Manuela Freitas 15 de agosto de 2010 11:32  

Olá Macá,
Gostei muito do conto, que transmite bem aquela inveja do dia a dia, que nasce inesperada, é mesquinha e até mesmo absurda.
Beijinhos,
Manú

Renata 17 de agosto de 2010 09:13  

Um texto que conta do cotidiano de muita gente...que de tanto ter inveja nao consegue sair do lugar, acaba se afundando nessa areia movediça de onde é dificil voltar à tona...amizades que chegam ao fim, por um motivo tão banal!

Bleeding_Angel 18 de agosto de 2010 02:34  

Oi Maca!
Obrigado por ter visitado minha Cela fria, tbm gostei mto do seu blog e principalmente da abordagem q fez a respeito da inveja.
Olha, eu faco minhas as palavras da Tati e vc sabe disso pq vc leu meu post:

"Eu não me excluo da massa não. Tomo cuidado em me vigiar, isso sim!"

Abracos.

Related Posts with Thumbnails