Censura ou Resolução?

>> quarta-feira, 28 de julho de 2010

No final de semana passado, mexendo em papéis, encontrei:
 
Roque Santeiro
A Rede Globo divulgou ontem o seguinte editorial:
 
     "Desde janeiro que a novela Roque Santeiro vem sendo feita. Seria a primeira novela colorida do horário das oito da noite. Antecipando-se aos prazos legais, a Rede Globo entregou à Censura Federal o script dos vinte primeiros capítulos. No dia 4 de julho, finalmente, o diretor de Censura de Diversões Públicas, Sr. Rogério Nunes, comunicava à Rede Globo: os vinte primeiros capítulos estavam aprovados para o horário das oito "condicionados porém - dizia o ofício - à verificação das gravações para obtenção do certificado liberatório". O mesmo ofício apontava expressamente os cortes que deviam ser feitos e recomendava que os capítulos seguintes, a partir dos vinte já examinados, deviam manter - palavras textuais da Censura - "o mesmo nível apresentado até agora". Todos os cortes determinados foram feitos.
     A Rede Globo empregou todos os seus recursos técnicos e pessoais na produção da novela Roque Santeiro. Contratou artistas, contratou diretores, contratou cenógrafos, maquiladores, montou uma cidade em Barra de Guaratiba, enfim, a Globo mobilizou um grandioso conjunto de valores que hoje é necessário à realização de uma novela no padrão da Globo. Foram mais de 500 horas de gravação, das quais resultaram os vinte primeiros capítulos, devidamente submetidos à Censura.
     Depois de examinar detidamente os capítulos gravados, o Departamento de Censura decidiu: a novela estava liberada, mas só para depois das dez da noite. Assim mesmo, com novos cortes. Cortes que desfigurariam completamente a novela.
     Assim a Rede Globo, que até o último momento tentou vencer todas as dificuldades, vê-se forçada a cancelar a novela Roque Santeiro. No lugar de Roque Santeiro, entra em reapresentação, e em capítulos concentrados, a novela Selva de Pedra, com Regina Duarte e Francisco Cuoco. Dentro de alguns dias, porém - esse é um compromisso que assumimos com o público -, a Rede Globo estará com uma nova novela no horário das oito. Para isso começou hoje mesmo a mobilização de todo o nosso patrimônio: o elenco de artistas, os técnicos, os produtores, enfim, todos os profissionais que aqui trabalham com o ânimo de apurazr cada vez mais a qualidade da televisão brasileira.
     Foi desse ideal de qualidade que nasceu a novela Roque Santeiro e é precisamente com esse mesmo ideal que, dentro de alguns dias, a Globo estará apresentando no horário das oito da noite uma novela - esperamos - de nível artístico ainda melhor que Roque Santeiro."
(Extraído de O Globo, quinta-feira, 28 de agosto de 1975, página 5)
 
Hoje de manhã lendo a Folha de São Paulo (página A2 opinião) me deparei com um artigo do Ruy Castro. Gostei muito e vou transcrevê-lo abaixo. 
 

RUY CASTRO
 Piada sinistra

"RIO DE JANEIRO - Os programas de humor da TV estão proibidos de fazer imitações, sátiras e gozações com os candidatos às próximas eleições. Essa piada sinistra (copyright Nelson Rodrigues) atende pelo nome fantasia de resolução 23.191/2009 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Mas a palavra correta é censura. O texto veta qualquer fala ou cena que "degrade ou ridicularize candidato, partido político ou coligação".

Isso dobra a responsabilidade dos candidatos a presidente, governador, deputado ou senador. Por causa da resolução, caberá exclusivamente a eles a função de degradar a si próprios ou de se ridicularizarem uns aos outros. O que eles já fazem o ano inteiro, certo. Mas, agora, com a mordaça aos humoristas, terão de ser comediantes em tempo integral.

O apoio de Fernando Collor a Dilma Rousseff, por exemplo, cumpre as funções citadas acima e também o inverso delas - a aceitação desse apoio, idem. E os apitos emitidos pelo deputado Indio da Costa, vice de Serra, sobre supostas ligações do PT, também dispensam a intervenção de meus amigos do "Casseta & Planeta" - os sobressaltos que Indio provoca em Serra já são hilariantes por si.

Na verdade, não ficaremos sem o humor político na TV. O horário gratuito obrigatório preencherá esta lacuna. Pena que, escrito por redatores de quinta e interpretado por canastrões, sua capacidade de fazer graça logo se esgotará. Em poucos dias, ao vê-lo surgir na tela, empatando a programação, o normal será que o telespectador desligue a TV e saia chutando baldes.

Mas nem tudo está perdido. As gozações, sátiras e imitações, assim como graves acusações, com ou sem fundamento, continuarão a circular na internet. E, se conseguirem censurar a internet, sempre restarão as esquinas e os botecos, que é onde o povo exerce o seu irreprimível humor político."

O primeiro é datado de 1975 e o outro é de hoje. Mudou alguma coisa?



5 comentários:

Tati Pastorello 28 de julho de 2010 20:44  

Macá, fui ler e é verdade!! Está lá, no artigo 28 nos parágrafos II e V. Mas isso não é inconstitucional? Não há uma lei de liberdade de expressão?Como assim??

"Por causa da resolução, caberá exclusivamente a eles a função de degradar a si próprios ou de se ridicularizarem uns aos outros." Aplaudo Rui Castro e assino embaixo.
O que podemos fazer para mudar algo assim?
Beijos.

Crica Viegas 28 de julho de 2010 21:54  

Pois, é...se mudou, , foi quase nada...
Mas ainda bem temos as esquinas pra dizermos o que quisermos, benditas esquinas!

Beth/Lilás 29 de julho de 2010 01:42  

E eu lembro desse tempo! Tempo muito triste e que não espero volte.
Parece que estão querendo movimentar algo neste respeito e já imaginou se conseguirem até na Net?!
Cruz credo!
hehe
bjs cariocas

Isadora 29 de julho de 2010 12:12  

Macá realmente é algo para ficarmos atentos, pois de pouco em pouco vamos vendo formas de censura por aí e isso é preocupante.
Estava aqui buscando alguma maneira de questionar uma resolução como essa, mas ainda não encontrei!
Um beijo

Glorinha L de Lion 29 de julho de 2010 12:36  

Oi Macá, o Ruy Castro é brilhante. Haja palhaçada pra gente ver em tempos de horário eleitoral Que de gratuito não tem nada! Nós é que pagamos pra esse bando fazer palhaçada na tv e no rádio. Agora, essa lei é dos anos 90...resquícios da ditadura? Pode até ser...um país que viveu 20 anos sob a lei da mordaça, não sabe usar seus direitos de cidadão, de democracia plena e exigir isso...Fazer o que? Brasileiro nunca lutou por nada, por seus direitos muito menos. A gente engole goela abaixo o que nos enfiam pela boca e todos quietinhos vamos lá, votar...Até isso deveria ser opção, como nos EUA. Belo post, amiga! Beijos.

Related Posts with Thumbnails