Os jovens mandam uma, duas, três a toda hora e em qualquer lugar: por que não?

>> segunda-feira, 25 de março de 2013


Eu tenho feito isso, mas confesso que todas as vezes que vou usar uma exclamação (!) eu me pergunto porque estou fazendo isso. E você, usa muito?

! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! 

Fatores colaboram para a dependência da

exclamação: é a pressa que me faz mandar

 'abs!', 'bjs!' e 'hahaha!'
* * * * 

NÃO LEMBRO quando usei pela primeira vez, mas imagino que as razões tenham sido as mesmas de todo mundo: dar uma descontraída, uma turbinada. Que mal tem? -devo ter pensado: grandes artistas usaram, os jovens mandam uma, duas, três, simultaneamente, a toda hora e em qualquer lugar: por que não? Se soubesse, lá atrás, onde iria chegar, jamais teria experimentado: agora é tarde, Inês é morta. Ou melhor: é morta!!! -digo, exibindo a céu aberto meu vício nesta praga ortográfica: a exclamação.
     Não quero me eximir da responsabilidade -um alcoólatra não pode culpar um pé na bunda, a má fase do Palmeiras ou as letras do Reginaldo Rossi por seu estado-, mas há, decerto, fatores que colaboram para a dependência. No meu caso: a pressa. Tivesse mais tempo para tudo o que não é trabalho, conseguisse cultivar as amizades com a calma que elas merecem e não estaria agora enviando e-mails com "abs!", "bjs!", "claro!", "vamos!" e até mesmo -Deus, em sua infinita misericórdia, tenha piedade de mim-: "Hahaha!!!".
     Entendam, não é por mal. Ontem, por exemplo: eram umas três e meia a tarde, a crônica estava atravancada, o deadline aproximava-se como o solo na queda livre e eis que chega o e-mail de um amigo querido, que não vejo há anos. Ele conta do filho que nasceu, do emprego que arrumou, lembra de um Réveillon que passamos juntos, em Ubatuba, desenterra uma piada que à época nos fez rir muito e que agora me enche de nostalgia.
     Não é uma mensagem a que se possa responder correndo, de modo que a guardo para o fim do expediente, quando, já tendo entregue a crônica e me desincumbido de todos os outros penduricalhos profissionais, poderei contar minhas aventuras e desventuras nos últimos tempos, relembrar algum momento daquela viagem, agregar à piada certo detalhe que ele deixou escapar.
     Mas quem disse que consigo desincumbir-me dos penduricalhos? Eles não têm fim. Graças a Bill Gates, Steve Jobs e seus comparsas, que grilaram o tempo ocioso de toda a humanidade, o transformaram em dólares e o depositaram em suas contas bancárias, arrasto atrás de mim uma matilha de celulares, tablets e laptops, bichos mais carentes do que labradores num canil, requerendo continuamente a minha atenção, com seus ganidos eletrônicos: seus "trrrrllls" e "pims" e "brrrrlums".
     Um e-mail tão importante, contudo, não pode ficar sem resposta -e é aí, meus amigos, que o homem vacila. É aí que, hesitante entre um dos lados na bifurcação -escrever direito a mensagem, abandonando um pouquinho o trabalho ou deixar para outro dia, dando uma mancada com o amigo-, acabo não escolhendo lado nenhum e metendo o carro no canteiro central -o que, no caso, significa enviar: "Saudades, Fabião! Cerveja, em breve?! Abs!!!".
     De noite, na cama, a mensagem fica zunindo em meu ouvido, como um pernilongo. O "Abs!!!", principalmente. Ridículo. De que adiantam três exclamações num abraço que sequer abriu-se com todas as letras? Decido que amanhã, antes de qualquer coisa, escreverei um e-mail decente pro Fábio.
     É o que reafirmo hoje, quarta, diante do tablet, enquanto tomo café: assim que acabar de conferir os e-mails, escreverei para ele. Juro!!!

Crônica publicada no jornal Folha de São Paulo em 13/03/2013

5 comentários:

Lúcia Soares 25 de março de 2013 17:44  

Oi, Macá. Verdade, nós e nossos vícios internéticos! rs
Eu já era muito exclamativa, mesmo antes do blog, do Facebook, dos e-mails. Também gosto muito de reticências. rs
Pior do que tudo o que ele disse é o tal "kkkkkkkkkkkk". Nem sei o que é pior, nessa correria que arrumamos pela vida.
Beijo!

Bel Rech 25 de março de 2013 17:57  

Vamos copiando e colando tudo.É um mal necessário...Beijos

Misturação - Ana Karla 25 de março de 2013 21:05  

Oi Macá!
Adoro as exclamações e exagero quase sempre. (risos)
Esse escrita abreviada da internet é quase um vírus, pega mesmo. Já escrevi muitas vezes assim, mas reaprendi a escrever inteiro.
Xeros.

Luma Rosa 27 de maio de 2013 02:02  

Esse texto é pra mim!
Eu uso demais!! Mas é porque sou mesmo efusiva!!
Beijus,

Jo Turqueza 15 de julho de 2013 12:33  

Oi Macá não sabia do seu Blog e estou seguindo.
Gostei do post, parei de fumar há uns 25 anos e me arrependo de ter fumado!
Beijos.

Related Posts with Thumbnails