ARREPENDIMENTOS

>> quarta-feira, 21 de março de 2012


(Imagem Google)

"Se pudesse voltar no tempo, você faria tudo igual? Eu não.
     Me arrependo de tantas coisas que fiz, tantas que deveria ter feito, que, se pudesse reescrever minha vida, mudaria um monte de coisas: as que me fizeram sofrer e também outras, em que fiz outras pessoas sofrerem.
     Se eu fosse de chorar, era a hora; mas o tempo passou, não há nada a fazer, então fico pensando em como seria minha vida, hoje, se tivesse feito tudo como deveria. Se tivesse tido uma vida equilibrada, se nunca tivesse pisado na bola -em quantas eu pisei-, se nunca tivesse falado o que não devia, se não tivesse engolido sapos, se tivesse tido a coragem de largar aquele homem logo que ele começou a me fazer sofrer, se tivesse tido mais paciência e ficado com aquele em que comecei a ver só os defeitos e que, pensando hoje, me fazia tão feliz.
     E continuo pensando, mas dessa vez, tudo ao contrário. Se hoje, passando minha vida a limpo, tivesse feito tudo como mandam alguns figurinos, estaria muito, mas muito arrependida.
     Olho para trás e me divirto com as loucuras que fiz, sendo que algumas me deixaram literalmente de cama, tão grande foram os vexames, tais as vergonhas que senti na manhã seguinte.
     O tempo que perdi ouvindo a mesma música -de Chico, claro- esperando um telefonema que nunca veio, e sofrendo. Hoje, quando me lembro, dou risada, mas naquele momento pensei que minha vida estava acabada.
     E as confusões que aprontei, marcando dois encontros para a mesma noite, saindo de um bar à 1h da manhã porque tinha marcado com outro, e o primeiro percebeu, e coisas no gênero.
     Mas continuo pensando -hoje é o dia. E se não tivesse feito nada disso; como estaria hoje, se minha vida tivesse sido certinha? Se tivesse casado com o terceiro namorado, tivéssemos tido um casal de filhos, ele fosse um bom marido, claro, e eu uma boa esposa, claro também. Que poderíamos estar casados até hoje, sem que eu nunca tivesse olhado -desejado, nem pensar- para um outro homem, e que a vida tivesse sido o que se chama uma vida boa. O que estaria pensando?
     Acho que eu estaria morta de arrependimento de não ter feito não uma, mas várias, todas (quase) as loucuras, de não ter chutado o pau da barraca muitas vezes, de não ter desobedecido ao que mandam a família, a tradição e a propriedade.
     E no lugar de estar hoje dando risada, estaria chorando por todas as insanidades que deixei de fazer."

Ah! se eu tivesse escrito esse texto!
Não que eu tenha feito muitas loucuras, sempre fui uma pessoa mais pacata. 
Ou tímida? Ou temerosa dos pais e irmãos? Do namorado? Do marido?
Não sei, mas que fiz loucuras fiz. 
Arrependida? Sim, quando penso na minha mãe. 
Eu caçula, na turbulência dos anos 70, querendo reformar o mundo, diferente dos irmãos mais velhos - todos obedientes - querendo viajar com os amigos, atravessar barreiras que diziam não ser pra mim ...
Mas, somente isso. E ela já deve ter me perdoado, com certeza.

beijos

7 comentários:

gamela presentes 21 de março de 2012 12:24  

Te entendo perfeitamente, também sinto o mesmo quando lembro-me de minha mãe.
Lindo texto da Danuza;
Beijinhos

Socorro Melo 21 de março de 2012 15:16  

Oi, Macá!

É belíssimo o texto da Danuza. Entendo que a nossa vida é o que fazemos dela, e que é essencial que cometamos erros, pois, sem eles, jamais avançaríamos.

Beijos
Socorro Melo

Lúcia Soares 21 de março de 2012 20:10  

Macá, acho que também faria muitas coisas diferentes, mas no geral não me arrependo do que fiz, só do que não fiz...rsrs
Beijo!

SHEYLA - DMULHERES 22 de março de 2012 00:34  

Macá, quem não tem algo a se arrepender?? Eu queria ter estudado mais, me importando mais com minha vida profissional e com meu futuro, dentre outras milhões de coisas!rrs Mas também, tem outras coisas que não me arrependo jamais.
beijosssss
Sheyla.

Clara 23 de março de 2012 11:03  

Macá...

adorei o post!
também fiz loucuras demais, sou muito topetuda e sabe, não me arrependo muito não.
Sou atrevida demais e sempre fiz o que tinha vontade.
Dei muitas cabeçadas, sofri horrores, que só me deram sabedoria.
Eu mudaria algumas escolhas que fiz, mas faria todas as besteiras e daria todas as cabeçadas de novo.

Adorei mesmo!

Beijos

pensandoemfamilia 26 de março de 2012 12:05  

Quando penso nas minhas queixas com as filhas, lembro-me do que minha mãe dizia: Quando for mãe você vai entender. Eu fiz algumas coisas que meus pais, na época, reprovavam, mas seu eu não as tivesse feito não seria hoje a pessoa que me consttitui. Reconhecer certo ou errado só otempo nos dá resposta, portanto é preciso viver e ousar.
bjs

pensandoemfamilia 26 de março de 2012 12:06  

Quando penso nas minhas queixas com as filhas, lembro-me do que minha mãe dizia: Quando for mãe você vai entender. Eu fiz algumas coisas que meus pais, na época, reprovavam, mas seu eu não as tivesse feito não seria hoje a pessoa que me consttitui. Reconhecer certo ou errado só otempo nos dá resposta, portanto é preciso viver e ousar.
bjs

Related Posts with Thumbnails